Quadro singelo

Data 17/10/2013 21:10:40 | Tópico: Poemas

Quadro singelo

Debruço-me no meu olhar
reflexo do um sentimento
que aflui mesmo sem querer
numa miragem do pensamento.
Um muro caiado de há tempo
e atrás empoleirado um moço
ampara a foice no ombro
Chapéu de palha enterrado.
Tem um esgar de atrevido
mas também de brincalhão
Olhos penetrantes, vivaços
sorriso bonacheirão.
Do lado de cá do murete,
trajada mesmo a rigor
com um ar de diabrete
cheia de graça e de cor
uma moçoila minhota,
mimosa no seu rubor,
pega no lenço,esconde-se a marota,
Na outra mão, tem um novelo
que estava agora a dobar
a dobadoira espera o apelo,
para poder recomeçar.
Uma cena mais campestre
não podia idealizar.
Em volta tudo ramadas
de flores a despontar.
Tela que como imaginei
e acabei por pintar.

Vólena




Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=257071