Inconsciente

Data 23/06/2014 14:19:56 | Tópico: Poemas

Valha-me à pena,
de quem me trouxe ao mundo
Inconsciente das barbaridades que, posteriormente iriam surgir
Surgi
De mãos a abanar
Projectado e inserido no mundo dos humanos
Sem sentir a pureza da vida, cresci
Por uma mera causa em minha consciência
Tento ir avante
Na demanda da verdade das coisas
Encontro-me numa turbulência
Enfim, vou em frente
Inconsciente de todo sofrimento
Carrego nas costas a força do progresso
Deprimido de tanto cansaço
Incansavelmente contínuo persistente
Sujeito a todas batalhas, vou erguer a minha fortaleza
Sem relíquias e nem riqueza
Não reparo o chão que piso
Pois vim à terra de mãos a abanar
Inconsciente da vida
Provim ao mundo
Nele estou inserido
E a minha demanda não conhece seu fim
De cabeça erguida lutarei pelos meus fins....
A Magia das Palavras



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=273181