Homem de Louça

Data 30/08/2015 17:42:40 | Tópico: Poemas

Autor: Roque Lirio


Há! Se eu pudesse ser de ouro, seria mais valorizado,
Se eu pudesse ser de prata, ainda assim seria admirado,
Mesmo se eu fosse de ferro, e pra mim ninguém olhasse;
Eu seria qualquer coisa, menos o homem de louça, contanto que ninguém me quebrasse.

O vento assopra e balança fortemente a prateleira
Tenho medo de cair, e a mesa grita; besteira!
E a diferença que existe, não é difícil notar,
eu sou feito de louça e ela de madeira.

Com prego se resolve os problemas que ela tem
Pó e cola é matéria que se pode usar também.
Se preenche as lacunas e se pode aplainar
Mas uma louça quebrada não tem cola não tem jeito
Só lixo, pois perfeita nunca mais ela será.

É por isso que eu quero outra matéria conseguir
E em outras fases da vida, outro homem construir,
Um homem que não se quebra, que se dobra e se machuca,
Mas se ergue novamente, levanta segue enfrente,
Sem medo! Mas pronto para vencer as suas lutas.








Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=298557