SERVIÇO DE CHÁ

Data 23/10/2015 16:40:45 | Tópico: Sonetos

SERVIÇO DE CHÁ

Sou obrigado a quem me serve o chá,
Enquanto da varanda bem contemplo
Jônicos capitéis em falso templo
Erigido a um deus morto há tempos já.

Junto à mesa imagino tudo o que há
De alegria, valor, virtude e exemplo.
E mais me disciplino se me exemplo
No que vem perturbar-me em hora má.

Pois, se mau o chá, má a reflexão...
Sem cuidado, sequer conversação
Haveria ante à xícara fumeante.

Se meu gesto depende de alheio gesto,
Louvo-o que, indiferente mas honesto,
Acontece-me justo n’este instante!...

Belo Horizonte - 29 06 2010


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=300714