Cogito se morrer é bonito

Data 31/03/2016 23:56:46 | Tópico: Poemas


Um poema de Miqué Di L'Atrólloggus



Valentemente à beira do abismo,
cogito se morrer é bonito,
habitualmente não teria prazer,
mas a labuta me pesa desesperada.
Então compensaria ser herói,
blasfemar zombando de Deus
despir-se da decência.
.
.
.
.
.
.
.
.

[...a natureza
da saída,
inquietação.
a recusa,
o destino...
costumava
também amar...]
.
A resposta,
à chamada
à mútua
liberdade.

Ao chamado
acoplado,
sem amigos,
ao abrigo
de
cobertores
num
canteiro
de flores.
.
.
.
.
.
.
Franquear o peito sob a jaqueta
resfriar o sangue abrasado,
a umidade vernal então respirar,
para desanuviar o rosto queimado.
Afinal, num salto precursor,
com denodo mergulhar,
flutuar poucos instantes.
.
.
.
.
.
.
.
... sem amizades,
em queda livre,
da liberdade,
caindo só.
.
.
.

Ao
redor,
despencando,
ao mesmo tempo,
peito aberto,
olhos francos,
a cerrarem
num instante,
apagar-se,
apegar-se
às criaturas
da vida
de todos,
diante
de todos.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

...
até o fundo
do abismo sem fundo
no fim do mundo.:









Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=307440