gosto dessa fartura e nao me canso †

Data 09/05/2017 14:41:29 | Tópico: Poemas


do destruir insano dessas poesias
prosando sonetos e rimas de fogo
caindo nas profundezas de tudo
menos no torpor

do rugir desejos disfarçados em melancolias
ameaçando degredos em fotos vazias
entre hiatos de retiradas como cruzes nuas
e choro roubado de beijos

jamais me cansarei dos arames
das farpas, da lima e linha
que me cose,rasga, nivela,decepa e une
na perfeição do mover extraordinário
das suas mãos.


jamais me cansarei da vida que de mim
voce REtira

e depois
me devolve mais outras mil vezes.
tal qual a magia do que cria;

more than forever.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=323377