Tic-Tac

Data 26/10/2017 14:15:22 | Tópico: Poemas

Sei que tudo se passa
como se passado fosse
a vida que temos
e não vivemos

Os filhos que de nós nasceram
e filhos tiveram

Os amores que por eles renasceram
tais primórdios do tempo onde
não existe tempo

Sei que tudo se passa
como se o presente fosse
um momento vivido já no futuro

Esse gigante pastor do mundo que
ainda não temos
dos tempos em que vivendo,
enlouquecemos

O tempo dos sentimentos que voaram
e não mais nos apaixonaram

O tempo em que sonhando,
dormente era o corpo

Duro na chegada da viagem

Sei que tudo é como um jogo
onde somos tudo
e não nos sabemos num lugar seguro

Onde nem o agora é permitido

E as mãos abertas
como se fossem asas brancas
voando num sonho imaculado


Mas nós perdidos no tempo
não damos pela presença
do tic-tac, tic-tac...a soar no peito
e gelamos por dentro

E chegam-nos melodias esquecidas
por um corpo ainda embrionário
nos voos dispersos das asas brancas

Onix/DM
https://youtu.be/KraW6nWwa0o



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=329464