Para Minha Princesa

Data 28/04/2018 11:20:54 | Tópico: Poemas -> Dedicatória

Em tempos de paz eu te procurei
Em tempos de guerra lutei por você
Meus sentimentos me deram forças para vencer
Suas mãos eu quis sentir,
O seu beijo eu pedi e logo recebi.

Formas e mais formas eu criei
Versos e mais versos eu recitei
Minhas palavras carinhosas eu te dei
Tudo para te aquecer, junto ao meu abraço
Tudo para te merecer, estar ao teu lado
Batalhas foram perdidas ao redor do globo,
E por ti eu permaneci louco
Valquíria, Atena, minha doce tulipa
Já não sinto a dor, somente suas mãos macias
Não estou mais almejando a vitória,
Só quero que me dê suas palavras amorosas.

Escreverei um poema para minha alma gêmea
Com o lápis em mãos vou rimando, entrelaçando em suas pernas
Escalando sua pele, meus versos elevarão meus pés
A farei serenatas em frases singelas,
Uma melodia ou uma simples canção sobre a vida
Meu amor transformou-se, como uma estação
Do inverno, passei a sentir seu calor do verão
E, quando as folhas tocarem o chão,
Eu já terei terminado de reconstruir no papel,
Minha paixão.

Não se assuste caso nosso momento não dure
Seja na chuva ou em uma noite bruta e escura,
Irei ao teu encontro, mesmo que eu lute
Irei me armar com uma lança, e irei de encontro com minha dama,
Minha anja, doce aroma, pacificadora e incendiária,
Que queima e deixa minha alma em chamas
Estarei dedicando, me declarando em seu nome
E, meu coração não será seduzido por nenhuma ninfa insinuosa
Prometo-te meu amor, o selarei, e somente para ti o abrirei
Nada tema, minha linda Hortênsia,
És mais bela e preciosa que Helena
Uma guerra contra os deuses eu faria,
Apenas para resgatá-la, para amá-la
E minha fraqueza se difere de Aquiles,
Para me matar é só me separar do meu arco-íris,
Da dona do mais lindo e puro sorriso
Para me matar é só você me deixar sozinho.

Amo-te muito, meu sopro, meu mundo, estamos juntos
Não estou à procura de guerras ou de raras pedras
Só desejo sua companhia, oh, minha querida
Jamais saberei se a trilha que sigo é a certa,
Se não estiver segurando a mão de minha doce Bela
Permaneço sendo a Fera, apenas sonhando paisagens secretas
E em nosso jardim estaremos longe do caos
Amo-te muito, meu amor, muito
Aqui venho me declarar, em versos não tão curtos
Amo-te, saiba que você se tornou o meu mundo, meu tudo.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=335439