Eternamente

Data 03/08/2018 23:11:12 | Tópico: Poemas

Quando apareces, assim, do nada,
Trazes contigo a beleza das nativas,
Levas os lumes líricos da madrugada
Diversificando nas cores vivas.

Quando nos meus sonhos e devaneios
Tu surges, de repente, feito fada,
Com olhos estrelados, fartos seios
Sinto meu coração em disparada.

Quando para tuas plagas tu partes
Deixas-me em constante melancolia
Rasgo bandeiras, queimo estandartes
Rabisco os alfarrábios de poesia.

Se tu vieres e comigo não mais ficares
Como ficavas comigo antigamente
Que leias este poema e aceites estas dicas
Se não quiseres ficar sem mim...eternamente




Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=338084