CRIAÇÃO

Data 05/04/2019 19:43:41 | Tópico: Sonetos

Há no amor um tempo certo de se firmar,
que é o momento de plenitude e bendito:
as almas são de uma total grandeza ímpar,
e onde, os dois corpos, poetam no infinito.

Tudo é um êxtase no peito a proclamar,
de força e surpresa, a um coração aflito;
acesa, mãos trêmulas, se põe a celebrar,
num vagido, eclodindo num gentil grito.

Rasga-se em luz o olhar dos amantes;
cada gesto a carícia em plena euforia,
e o tempo, estaciona em cada abraço.

Porque, entre cada gesto refrescante,
brota todo o Universo, em doce alegria,
acalmando o dia, dos beijos em rijo laço...

© Luciano Spagnol
poeta do cerrado
05/04/2018
São Paulo
Olavobilaquiando



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=343050