Arte

Data 09/04/2019 20:14:20 | Tópico: Poemas

Quisera eu saber desenhar-te,
a acrílico, pastel, óleo ou carvão.
Gravar a tua expressão,
divina arte, cravada no meu coração.
Assim, ver-te fisicamente,
sentindo no âmago teu olhar angelical.
e deleitar-me com a poesia emitente,
tão imaculada e sideral como carnal
E, então, declamar-te...
e cantar-te ao Universo...
e amar-te diariamente...
imerso noutro astral,
e.
assim...eternamente!
2016


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=343123