Desabafo

Data 15/05/2019 17:35:50 | Tópico: Poemas -> Esperança

Há coisas que não doem porque já doeram,
medos que chegam sem chegar, e quando chegam,
não passam de temores, agruras, enfados, abanões ...

Há gente que vai e vem num continuo movimento de cumprimento e despedida,
e é nesse tempo do meio, entre chegarem e partirem, que estamos nós, parados, incólumes, em silêncio, a apreciar uma viagem circular.

Porque quem se vai, um dia torna, mas quando volta, já nem sempre os esperamos ... e adeus, sigam o destino ...

E há milhares de sentimentos que já sentimos: desilusões, tristezas, altos e baixos, momentos de solidão ...

Os sentimentos são como as pessoas, vão e veem, chegam e partem, mas quando voltam, já não os recebemos do mesmo modo. Tudo porque já um dia os acolhemos e já um dia nos abandonaram.

Hoje tenho medo! E não é fraco quem diz ser! É forte! Coragem não significa ausência de medo. Porque todo o corajoso tem medo, por isso é corajoso ...

Hoje visto-me de medo! Como com o medo! Bebo com o medo! E durmo com o medo, vivo com o medo ...

Um medo diferente, bem o sei, mas medo!

Minha casa, minha cama, meu fado, meu jardim d'angustias e solidão!
Dou-te a minha mão, olho-te nos olhos e desabafo: AMO-TE!

Ricardo Maria Louro
Café a Brasileira
Chiado/Lisboa


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=343721