O TEMPO

Data 02/09/2021 23:55:02 | Tópico: Poemas

As horas são lentas, devagar...
O ócio é um obstáculo que enfrento,
Às vezes até tento matar o tempo,
Mas ele é imortal e vai me dissipar...

O tempo é implacável, cobarde...
Segue em linha reta rumo ao futuro
Deixando para trás o passado impuro
E um presente hipócrita que tudo fere e me invade...

No silêncio taciturno das tempestades
Os ventos que semeiam as novidades
São tragados pelo tempo que tudo torna velho...

No futuro que um dia será passado
O tempo dar-me-á por singelo regalo
Açoites que adormecem insondáveis mistérios!



Poema publicado em meu livro
SEARA DE RITMOS, Paco Editorial,
São Paulo, 1ª. Edição, 2011.


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=358737