Beijo de liberdade

Data 15/07/2008 13:50:39 | Tópico: Poemas -> Dedicatória


Almejas tanto ser dilecto mas nem te apercebes
Queres apadrinhar tudo e todos mas não te dás conta
Que na tua arrogância afastas quem te possa bem-querer
Que não podes sozinho salvar o mundo
E impedi-lo aos poucos de morrer!

Sectário da nobreza humana
A amizade é importante na tua essência
Intuitivo e mental, sofres por ti e pelos outros
Jogas com as emoções como se dependessem delas a tua vida
É a lua que baila perpetuamente na tua mente
A tua disposição muda como a água corrente
Umas vezes selvagem, outras eterna mansidão!
Ris e choras em abruptos laivos de personalidades diversas
Porque te prendes a objectos que guardas em segredo
Porque ficas cativo de lendas e de histórias de encantar
Que ser emotivo e sensível és tu que sofres
Que laços ficaram por dar
E que mãe ficou por amar!

És pensamento presente se a lonjura for grande
Permaneces sem rejeição como dragão alado
Não ataques com as tuas garras
Porque ninguém te injuriou e és amado!
Abre o teu sorriso em graça
Desabrocha a tua voluptuosidade não te isoles em degredo
Não te enclausures na tua armadura
Beijo de liberdade num abraço de aconchego!



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=44283