sem titulo... simplesmente está cá.

Data 30/07/2008 21:58:42 | Tópico: Poemas

Ninguém vende as soluções
No mercado negro do existir…
Ninguém revela nas orações
Que ao rezar está a mentir!

Ninguém vende a esperança
Ao canto da praça do entristecer…
Quem busca nem sempre alcança
As estrelas do anoitecer!

Quem aguenta as picadas
Das agulhas do lamentar?
As vozes que cantam desalentadas
Entoando cânticos do serenar,

Entoam preces que levam a nada,
A não ser à súbita beleza acústica…
A minha alma é lâmina afiada
No meu coração de pedra rústica!


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=46263