Agreste...

Data 30/08/2008 23:35:07 | Tópico: Poemas

Sonhando, em sonhos, pelo sonhar,
Que sonhos pode uma alma dilacerada
Ter? Que alegrias pode alcançar?
Alma triste, em meu corpo encarcerada…

Como podes ousar um voo gracioso
Quando incessantemente te cortam as asas?
E se o choro é grito lapidário e doloroso
Poderá ser ouvido em cada lar, todas as casas?

Ah, corajoso coração cheio de vida
E com muita vida em ti para oferecer…
Sonhas em devaneios e de seguida
Vertes amor e saudade até morrer…

Mas vives ainda em receio, sem cura…
Os meus olhos fecham, em vão,
A minha mente é foz de amargura,
O meu olhar escondido é solidão…

A alma treme, o coração aperta, aperta…
Se pudesse viver um sonho! Ou apenas viver…
Minha alma não é alma, é porta aberta
Para as intempéries agrestes do meu ser…



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=50478