https://www.poetris.com/
Luis R. Santos (Aquazulis) : O Verme
em 02/07/2016 02:49:04 (552 leituras)
Luis R. Santos (Aquazulis)

Silêncio! Escuta! Entre o folhedo
Decadente do jardim outonal
Rasteja tão repugnante animal,
Serras por dentes e hálito azedo!

Queda-te silente, não mostres medo!
Disfarça-te na treva sepulcral
E, se és crente, inimigo do Mal,
Talvez não te roa as vísceras tão cedo!

Ssshh! Está perto, de sangue sedento,
Espolinhando seu corpo nojento
Por sobre os cravos defuntos do horto!

Reza! Só a prece te resta, amigo!
Adeus, e que Deus esteja contigo
Na despedida do teu corpo morto!

(Luís R Santos 26/5/11)


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 02/07/2016 02:50  Atualizado: 02/07/2016 02:51
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2087
 Re: O Verme
Quais são as vantagens da cremação? (pergunta Luis)


Luis foi cremado.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 06/09/2016 10:16  Atualizado: 06/09/2016 10:16
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1335
 Re: O Verme
Todos somos um pouco vermes. Mais vermes somos sob terra. Sete palmos, certo.
Perdida a consciência, ou qualquer nome que demos ao pensamento de que serve ao que vamos?
Sempre damos em adubo, seja qual for o ser vivo que se alimente de nós.

Eu também quero ser cremado, sujeito a pó e cinzas lançadas ao mar. Não mas guardem em vasilha.
Mas que o processo não dê mais trabalho a quem cá me fica.

Obrigado Helen!

As saudades Luis...

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 02/07/2017 15:40  Atualizado: 02/07/2017 15:40
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12689
 Re: O Verme
E você partiu deixando os vermes rastejando entre nós amigo. Esteja bem entre os grandes do Parnaso.

Links patrocinados

Visite também...