https://www.poetris.com/
Luis R. Santos (Aquazulis) : Caridade
em 03/07/2016 02:56:48 (572 leituras)
Luis R. Santos (Aquazulis)

A mão suplica um mísero tostão,
Tão negra de fome e atroz saudade,
Estendida sob os olhos da cidade
E sobre o orgulho cuspido no chão.

No frio glacial ou no auge do Verão
Ela pede esmolas à caridade;
Os anos passam, morre a dignidade
E ignoram o rogo daquela mão.

Mas um dia, quando o sol adormecer
E o Inverno cair de joelhos a tremer,
A mão será pela morte gelada.

Quem sabe, na próxima Primavera,
Uma criança pergunte de quem era
A mão que suplicava na calçada!

(Luís R Santos 8/12/10)


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 03/07/2016 02:57  Atualizado: 03/07/2016 02:57
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2087
 Re: Caridade
Existem limites para a caridade? (pergunta Luis)

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 19/08/2016 08:49  Atualizado: 19/08/2016 08:49
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1323
 Re: Caridade
Com a erosão dos sentimentos, os nobres morrem sempre primeiro, quem se lembra da caridade se não for o olhar limpo duma criança.
A vida estraga-nos.
Cultivar a criança dentro de nós, nem todos estão dispostos a fazer.
Sempre a pôr os dedos na ferida...

Não é Luis?

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 02/07/2017 00:17  Atualizado: 02/07/2017 00:17
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12490
 Re: Caridade
Eis um homem que priorizava o próximo, que dizia lutar contra as classes. Foi um prazer poder ter conhecido um verdadeiro poeta em vida. Fique com Deus, meu amigo. Tua escrita te fez imortal!

Links patrocinados

Visite também...