https://www.poetris.com/
Luis R. Santos (Aquazulis) : De vermelho
em 23/08/2016 17:51:52 (534 leituras)
Luis R. Santos (Aquazulis)

não explodissem aromas quando passas
nem ao ressonar da concha te ouvisse
nunca ao palato meu tal gulodice
tal champanhe que resvala por taças

e de pronto inebria, trauteia de pronto
não viesses com artes de rosa vermelha
não viesses sempre de viés e de esguelha
vírgula a vírgula, e ponto a ponto

leva-te o musgo plumosa e lesta
e até as almas amontoam-se em redor
esterno com esterno, nuca com testa

e num ápice já o ar de ti rareia
nem rasto que se tenha promissor
e a língua transmuta-se em areia


(Luís R Santos)


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 23/08/2016 17:53  Atualizado: 23/08/2016 17:53
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2087
 Re: De vermelho
Contribuição de Vânia Lopez.

Links patrocinados

Visite também...