https://www.poetris.com/
   Todas as mensagens (Joel-Matos)


(1) 2 3 4 »


Re: Em um mundo de zumbis e sombras
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787













Se só rigorosamente mortos compõem museus, morto vivo eu sou ...













Criado em: 13/4 16:53
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Em 1915, Einstein imaginou isto.
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Uma fotografia de algo que um homem, um único homem, sonhou e imaginou há 100 anos. Em 1915, Albert Einstein imaginou isso. Esta ideia de que um grande peso, transforma a geometria. Que quando a massa é muito pesada, nasce um buraco, um misterioso buraco, de onde nada consegue escapar e para onde tudo é absorvido", frisou.


Pela primeira vez na História, a Humanidade conseguiu captar a imagem de um buraco negro, um dos maiores mistérios do Universo com o uso de toda a tecnologia existente e tendo como prato de telescópio todo o planeta Terra, já que foram usados em simultâneo oito telescópios situados desde a Espanha à Antártida, ao México, Awaii e North América




Tinha de partilhar isto convosco

Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=320746 © Luso-Poemas

By Leah Crane

We have peered into the abyss for the very first time. The Event Horizon Telescope (EHT), which uses a network of telescopes around the globe to turn all of Earth into an enormous radio telescope, has taken the first direct image of a black hole.

The light that makes up the image is not coming from the black hole – black holes do not emit any light, hence the name. Instead, the image shows the black hole’s silhouette against a background of hot, glowing matter that is being inexorably pulled in by its powerful gravity.

In 2017, the eight telescopes of the EHT collaboration observed two supermassive black holes: the one at the centre of our galaxy, which is called Sagittarius A*, and the much larger behemoth at the centre of another galaxy called M87.


This image show the black hole in M87, which is 55 million light years away. “We’re looking at a region that we’ve never looked at before, a region that we cannot really imagine being there,” said EHT scientist Heino Falcke in a press conference today in Brussels. “It feels like looking at the gates of hell, the end of space and time.”

Read more: If you think black holes are strange, white holes will blow your mind
M87 is easier to observe because, while it is much farther away than Sagittarius A*, it is also much bigger and has less material swirling around it. The image may be blurry, but it is an incredible technical feat requiring observations all over the world with the very best radio telescopes.

“We’ve repurposed the entire Earth as a radio dish, it doesn’t get better than that unless we put something on the moon,” says Natarajan. “We are at the limits of our equipment and what we can do.”

The ring of light around the black hole looks a little lopsided, which is as expected. This comes from a prediction of Albert Einstein’s theory of general relativity: that the powerful gravitational pull of a black hole will actually bend light around it, making the light skimming the side of the black hole that’s rotating towards us appear brighter than the light on the side that’s spinning away.

Read more: Our galaxy’s supermassive black hole may be spewing matter right at us
Images of the event horizon are particularly important when it comes to testing general relativity, which governs the behaviour of gravity and very large objects. We know that it does not mesh with theories of quantum mechanics, which describes the very small, and the very edge of a supermassive black hole, where gravity is more intense than anywhere else we know of, is the best place to stress test that disconnect.

And this is the first direct evidence that event horizons are actually real. “The event horizon is very tantalizing, because once something passes the event horizon it seems like we can’t know anything about it,” says Natarajan. “It is the limit of what is known and what is unknowable.”

This first image is pushing back the limits of our knowledge. “We have been studying black holes for so long that sometimes it is easy to forget that none of us have ever actually seen one,” said France Córdova, the director of the National Science Foundation, at a press conference in Washington, DC. That is, none of us have seen one until now.

Read more: Earth-sized telescope set to snap first picture of a black hole; Einstein’s clock: The doomed black hole to set your watch by

Criado em: 10/4 16:07
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: como alguns cães atrás da tela House of the Dog,
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Criado em: 6/4 9:39
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: cão raivoso House of the Dog,
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Criado em: 6/4 9:38
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Mal resolvido
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Criado em: 4/4 21:52
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Mais um caído sobre a navalha
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Criado em: 4/4 19:36
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Mais um caindo sobre a própria navalha
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window

Criado em: 4/4 19:34
Transferir o post para outras aplicações Transferir


obrigado
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
Open in new window



In silentio manere donec loqui tibi

Criado em: 28/3 13:01
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Alguns dos meus livros
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
DER
BEOBACHTER
EDELWEISS



José Hipólito Trigueirinho Netto

A GRANDE FARSA DESTE CHARLATÃO EMBUSTEIRO E FALSO CONTATADO.

Trigueirinho é mais um embusteiro, mentiroso e charlatão que se aproveita da ingenuidade e da credulidade alheia.
José Trigueirinho

se diz o porta-voz dos extraterrestres, porém o certo é que apenas mais embusteiro e charlatão um que vive nababescamente as custas de seus seguidores "patos" que pagam mais de
1500 dólares
para passar um final de semana na sua fazenda "Esperança", localizada em Minas Gerais, para sonhar com a possiblidade de ver um E.T ou um Ovni. Citando abaixo um ex-seguidor do charlatão embusteiro Trigueirinho de nome Jonas:
“...Foi em abril de 2008. Já ciente das fraudes, fantasias, incoerências e outras coisas desagradáveis de Trigueirinho, mas também sabedor de que havia coisas boas entre seus livros e partilhas, ao ver um pequeno cartaz convidando para sua palestra “A arte de viver nos tempos atuais”, a ocorrer no dia 28 de abril daquele ano no Memorial da América Latina (Barra Funda, S. Paulo – SP), organizei-me para ir. Uma palestra com um título desses em uma cidade conturbada como S. Paulo chama muito nossa atenção, e não me espantei ao ver o auditório do Memorial, que é um ambiente enorme, no dia aprazado completamente cheio. Pois bem. Já no saguão de entrada, mesas sem fim com livros e mais livros de Trigueirinho, atuando quase como um elemento constrangedor sobre as pessoas que adentravam o recinto. Mas o pior mesmo foi a palestra. A coisa ali foi tão absurda que,

passados mais de 3 anos, ainda sinto algum mal-estar ao lembrar, pois, além de ter perdido meu tempo (fui à palestra com vistas a aprender lidar melhor com estes tempos vertiginosos, mas ouvi principalmente coisas como a existência de hierarquias de seres involutivos, “conexões” realizadas por estas entidades sobre as pessoas, “cristais” das luas de Júpiter, etc.), constatei que Trigueirinho não só era um fantasista sem par (como já sabia), como é um indivíduo que pode prejudicar as pessoas...” Continua Jonas: “..O que vou relatar aqui é algo extremamente sério. É resultado de pesquisas e investigações, fruto de minha vivência por 3 anos dentro daquele “grupo” denominado Figueira, e da colaboração de um amigo ex-dirigente de um dos “grupos de estudos” ligados a Figueira. Não vou detalhar minha vivência lá, pois acredito que se assemelhe, em termos de decepção, aos demais relatos já feitos aqui. Minha experiência só não chegou a ser realmente traumatizante porque nunca cheguei a confiar totalmente naquele “sistema”. Apenas digo que minha posição específica como colaborador naquele grupo de Trigueirinho me propiciou presenciar atividades como: contrabando, sonegação fiscal (por parte da editora), controle mental, vampirização e aliciamento sexual, entre outras atividades que nem de longe deveriam fazer parte de uma comunidade supostamente voltada à espiritualidade elevada. Mas não vou me deter aqui nos efeitos e sim na causa, no que está por trás de toda essa “sujeira” e das tamanhas contradições que são o alvo desta discussão. Nem eu nem meu amigo temos como provar o que irei descrever. Acreditar ou não ficará a cargo do “bom senso” de cada um. No entanto creio que essas informações podem ser úteis àqueles que fazem suas próprias investigações em relação a este grupo e em relação a outros que praticam formas semelhantes de manipulação. E Jonas continua ainda: ...As pessoas do grupo de Trigueirinho são levadas a se isolarem física e moralmente a ponto de tornarem-se totalmente dependentes mental e emocionalmente da “guiança” de Trigueirinho e seus asseclas. Uma forma sutil de escravidão. Acaba que as coisas “boas” que as pessoas retiram dos “ensinamentos” de trigueirinho se perdem, ou se invertem, por serem canalizadas para fins distorcidos e egoístas. E é assim por mais que tentem mascarar. Eu mesmo presenciei por diversas vezes as explosões de rancor e agressividade destas pessoas, que, como você disse, se “anulam”, ou seja, se reprimem. Os ditos conhecimentos de trigueirinho são, na realidade, são uma compilação do conhecimento de diversas fontes convenientemente forjada e sutilmente alterada para atingir determinados fins… No final das contas as pessoas são levadas ao preconceito, à repugnância e à indiferença daquilo que ele chama de “vida comum”. E isso se estende às pessoas que supostamente vivem esse vida. Um bom exemplo disto é a forma como as pessoas do dito grupo que moram tanto na fazenda quanto na cidade tratam os habitantes de Carmo da Cachoeira. O desprezo e a altivez são patentes. Essas pessoas na realidade vivem uma grande frustração e não percebem que estão fugindo de si mesmas e se entregando nas mãos de parasitas que, como estes, existem muitos e de variados tipos espalhados pelo mundo…

Criado em: 13/3 9:36
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: "Te loquor absentem"
Subscritor
Membro desde:
24/2/2017 12:37
Mensagens: 1787
DER
BEOBACHTER
EDELWEISS



José Hipólito Trigueirinho Netto

A GRANDE FARSA DESTE CHARLATÃO EMBUSTEIRO E FALSO CONTATADO.

Trigueirinho é mais um embusteiro, mentiroso e charlatão que se aproveita da ingenuidade e da credulidade alheia.
José Trigueirinho

se diz o porta-voz dos extraterrestres, porém o certo é que apenas mais embusteiro e charlatão um que vive nababescamente as custas de seus seguidores "patos" que pagam mais de
1500 dólares
para passar um final de semana na sua fazenda "Esperança", localizada em Minas Gerais, para sonhar com a possiblidade de ver um E.T ou um Ovni. Citando abaixo um ex-seguidor do charlatão embusteiro Trigueirinho de nome Jonas:
“...Foi em abril de 2008. Já ciente das fraudes, fantasias, incoerências e outras coisas desagradáveis de Trigueirinho, mas também sabedor de que havia coisas boas entre seus livros e partilhas, ao ver um pequeno cartaz convidando para sua palestra “A arte de viver nos tempos atuais”, a ocorrer no dia 28 de abril daquele ano no Memorial da América Latina (Barra Funda, S. Paulo – SP), organizei-me para ir. Uma palestra com um título desses em uma cidade conturbada como S. Paulo chama muito nossa atenção, e não me espantei ao ver o auditório do Memorial, que é um ambiente enorme, no dia aprazado completamente cheio. Pois bem. Já no saguão de entrada, mesas sem fim com livros e mais livros de Trigueirinho, atuando quase como um elemento constrangedor sobre as pessoas que adentravam o recinto. Mas o pior mesmo foi a palestra. A coisa ali foi tão absurda que,

passados mais de 3 anos, ainda sinto algum mal-estar ao lembrar, pois, além de ter perdido meu tempo (fui à palestra com vistas a aprender lidar melhor com estes tempos vertiginosos, mas ouvi principalmente coisas como a existência de hierarquias de seres involutivos, “conexões” realizadas por estas entidades sobre as pessoas, “cristais” das luas de Júpiter, etc.), constatei que Trigueirinho não só era um fantasista sem par (como já sabia), como é um indivíduo que pode prejudicar as pessoas...” Continua Jonas: “..O que vou relatar aqui é algo extremamente sério. É resultado de pesquisas e investigações, fruto de minha vivência por 3 anos dentro daquele “grupo” denominado Figueira, e da colaboração de um amigo ex-dirigente de um dos “grupos de estudos” ligados a Figueira. Não vou detalhar minha vivência lá, pois acredito que se assemelhe, em termos de decepção, aos demais relatos já feitos aqui. Minha experiência só não chegou a ser realmente traumatizante porque nunca cheguei a confiar totalmente naquele “sistema”. Apenas digo que minha posição específica como colaborador naquele grupo de Trigueirinho me propiciou presenciar atividades como: contrabando, sonegação fiscal (por parte da editora), controle mental, vampirização e aliciamento sexual, entre outras atividades que nem de longe deveriam fazer parte de uma comunidade supostamente voltada à espiritualidade elevada. Mas não vou me deter aqui nos efeitos e sim na causa, no que está por trás de toda essa “sujeira” e das tamanhas contradições que são o alvo desta discussão. Nem eu nem meu amigo temos como provar o que irei descrever. Acreditar ou não ficará a cargo do “bom senso” de cada um. No entanto creio que essas informações podem ser úteis àqueles que fazem suas próprias investigações em relação a este grupo e em relação a outros que praticam formas semelhantes de manipulação. E Jonas continua ainda: ...As pessoas do grupo de Trigueirinho são levadas a se isolarem física e moralmente a ponto de tornarem-se totalmente dependentes mental e emocionalmente da “guiança” de Trigueirinho e seus asseclas. Uma forma sutil de escravidão. Acaba que as coisas “boas” que as pessoas retiram dos “ensinamentos” de trigueirinho se perdem, ou se invertem, por serem canalizadas para fins distorcidos e egoístas. E é assim por mais que tentem mascarar. Eu mesmo presenciei por diversas vezes as explosões de rancor e agressividade destas pessoas, que, como você disse, se “anulam”, ou seja, se reprimem. Os ditos conhecimentos de trigueirinho são, na realidade, são uma compilação do conhecimento de diversas fontes convenientemente forjada e sutilmente alterada para atingir determinados fins… No final das contas as pessoas são levadas ao preconceito, à repugnância e à indiferença daquilo que ele chama de “vida comum”. E isso se estende às pessoas que supostamente vivem esse vida. Um bom exemplo disto é a forma como as pessoas do dito grupo que moram tanto na fazenda quanto na cidade tratam os habitantes de Carmo da Cachoeira. O desprezo e a altivez são patentes. Essas pessoas na realidade vivem uma grande frustração e não percebem que estão fugindo de si mesmas e se entregando nas mãos de parasitas que, como estes, existem muitos e de variados tipos espalhados pelo mundo…

Criado em: 13/3 9:35
Transferir o post para outras aplicações Transferir



 Topo
(1) 2 3 4 »




Links patrocinados