https://www.poetris.com/
(1) 2 3 4 ... 95 »

12/01/2021 (Não Há Moral)
(Namastibet)

Subscritor








(Não Há Moral)




ou
Esquema gráfico para nãosobreviver à morte …



Por mim, e de minha parte, dispenso-me de comparecer perante a morte tão cedo e em tão solitário lugar de culto, de parecer bem no dia a dia, no concavo do espelho enquanto vivoe me vejo e do acontecer matemático, geriátrico-sistémico, cronológico-depuradocomplexo, pareço-me e comungo do comum entardecer dos Generais da Roma antiga,dos Reis do Egipto, mas sou apenas um comum acontecimento já acontecido,falo do que ocorreu anteriormente e se sobreviver incompleto esegmento, parcialmente, já não necessitarei de levitar e inventar a vozdemasiado, de voar levantado ou levantar a fala até mais não poder mais, nãoprecisarei de precisar mesmo, nem mais de mim, sorrio sorridente - sorrirei aode leve, senhor do isolamento e da distância, da duração esclarecida do meutempo presente, inebriar-me-ei de poesia, essa poesia inerente, pressentida,valente, densa e à flor da pele, que só dói se estivermos dentro dela e perto,bem perto e em pelo, o quanto baste para ser uno com a minha dolorosa e sentidaforma de suicídio terrestre, tal a inverdade que me rege e pratico.
A tentadora validade gestacional do poeta, só é válida, só e apenas se constróide uma vez em todas e somente aos poucos e a poucos se congrega e se consagra,do desassossego na fala, a tantas outras razões nos cabelos no "pãode rala", por tantas outras ocasiões razoáveis, quando nos mostramos nósmesmos falhos, folhas de lógica sem validade, fora de prazo em mil e um ou maissocalcos soalheiros e vitalícios, vinhateiros da ira em época de colheita, nãodepois, durante as chuvas e os aluviões, perante as secas, nem antes de meapresentar em lugar algum, cestos cientes, cheios de dúvidas, nessa altura soueu mesmo e um mais, mágicos agnósticos e brilhantes como a geada, ideólogos dacevada, puro malte quanto a agua irradia de bom grado, o brilho de um regatocristalino, a montanha por descobrir, encoberta de um lado, assombrada pornegro lago, profundo, onde não medra nem fogo, nem um fungo nem pasto, nem umaperca do nilo, um rodovalho, um robalo. Por mim, sou o analgésicomirabolante, a miragem de qualquer substância a mais e de mim mesmo antropólogoa crédito, amais valia não passa de algo análogo a isso, depois impregno-me deuma mistura mística e pessoal de ilusão estética-profana profunda, falsamenteendémica e monogâmica. Pois sim, o destino não dura para sempre, a submissão aotempo que sobra, é uma inglória lápide negra e não unicamente ou exclusivamenteuma prisão sepultada, abducente da lama, da areia, na praia do desconhecimentodescontente, gradual e gráfico. Por mim, sinto, que a diáspora doarredondamento dos sentidos, a metáfora do nascimento, foi produzida unicamentepara mim, a pensar em mim próprio e feita do mesmo e grave tecido de que eu fuie sou composto, produzido num tear sem linha nem fio apropriado, porque eu nascicalibrado, arredondado, arremedando os outros e morri quando encetei, no momentoimediato, fatídico, fálico na altura certa em que comecei a copiar-me, iniciei-atranscrição, a imitação gráfica de mim próprio, o liberto e a permissão são deminha única autoria, embora não sejam plenamente, e o conflito frásico, hemorrágico,a antropofagia fraseológica das minhas próprias partes moles, mais discretas enobres, hemorroidas de escritor condenado por delito comum, à morte por sossegoe por sufrágio universal dentro dele mesmo, o análogo, não dos outros como parceriaser normal e servir de exemplo para “o fora de mim” um diferente lugar do queoque ocupo dentro de mim próprio e presentemente, fora da atenção do corpo, maisperfeito e prodigo que o “eu” ao cubo, num emergente esmiúdo de mim. Por fim oromance, a novela intensa, essa não teria argumento, caroço ou enredo nem ação,passar-se-ia apenas na minha cabeça de maçã, na mente de broca, ou na de quem aescrevesse melhor que eu e a intriga seria entre o espírito e a consciência, a intuiçãoconsistente e o Arsénio, O “LUPIN”, o enigma que liga os personagens comofiguras reais com o escritor fictício , o criador figurante, galã de conto defadas, das fábulas, ele próprio um personagem secundário, operando débeis tíbias,entranhas e cabelos disfarçado de outrem, intuitivo na tarefa de fazer cumprir escrupulosamenteo guião e o maior sabedor do conteúdo geral da peça e do palco, o sábio dolabirinto gráfico e ancestral e o que sonhou ou o que conhece a saídapara o outro lado do cosmos, da Galáxia, do mundo cabal e global. A primeiraedição da minha vida será por fim escrita, descolorida e desenvolvida com a ideia de não ser entendida nem por um qualquerpsicótico ser de vista turva, com a ilegibilidade rara do que me é mais caro,sem cura, remédio fracassado de óxido de mercúrio e reagente mais calado que o silêncioem minhas veias colados sob pele fina, mas de que vale uma biografia, uma vida semhistoria de medo em que tudo pode ser dito e ser tido como superficial porquenormal é humano, é o senso comum e não de mim só, o labirinto que me habita, osonho é geral e genérico como a febre do sol e o paracetamol ou o fim do ano emcidades diferentes do mundo mas comum e expressivo para quase todos afinal. Pormim, e de minha parte, dispenso-me de parecer bem, carismático ou altruísta, (...)












 


11/01/2021 MINHA POSSE NA ACADEMIA.
UMA MULHER UM POEMA

Colaborador

Open in new window

COMPARTILHO COM OS AMIGOS DO LUSO, A MINHA POSSE NA ACADEMIA DE LITERATURA BRASIL GUARAPARI / ESPIRITO SANTO.

 


29/09/2020 Flores.
___viniciusgeyer__


As flores morrem e renascem como as almas....
Mas não sofrem, nem choram, nem se entristecem.

Apenas falecem....
E depois dos pássaros apaixonados por elas beija-las, os beija-flores,
renascem na
renovada aurora.

Inteiramente belas ressurgidas
pelo beijo de outrora...
Alumiadas pelo Sol da primavera...

 


31/08/2020 1. No teu olhar
Valdezz1

Participativo

MAIS DO QUE PÃO E QUEIJO
QUERIA UM ÚNICO BEIJO
NÃO UM BEIJO NA BOCA
QUE RETRATASSE UMA PAIXÃO LOUCA
MAS UM BEIJO NA TESTA
E QUE O DESSES FAZENDO FESTA
E COM O OLHAR ME PEDISSES PRA FICAR.
by valdezz.

 


02/08/2020 VIII Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IwA
marcelooso

Colaborador

VIII Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza
(inscrições de 01 de agosto até quando fechar a quota de classificados da Antologia)
Realização dos sites: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com/; faceboook.com/psfronteiras; instagram: @marceloescritor
Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências /RJ; Academia de Letras de Teófilo Otoni /MG; Academia de Letras do Brasil Sul e Baixo Sul da BA; Academia de Letras do Brasil/ Mato Grosso do Sul; Escbrás e FEBACLA.
Com o objetivo de estimular escritores de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 8a edição.
Em parceria com o Celeiro dos Escritores, TODOS os trabalhos classificados para o evento estarão publicados na Antologia; e todos os autores receberão um exemplar da obra, na residência, sem nenhum ônus além da taxa de inscrição ( Livro via Correios, registrado).
Nesse Prêmio aceitaremos todas as expressões artísticas literárias: Contos, poesias, crônicas, haicais, etc. Desde que: O poema tenha até 35 versos e a crônica, conto ou outra expressão não passe de 1500 caracteres com espaços (por página).
Taxa de inscrição: R$ 55,00 que corresponde a 01 exemplar da Antologia. (A ser paga através de depósito bancário fornecido pela editora.)
Atenção:

a) Menores de idade: Só a partir dos 16 anos completos.
b) É permitido participar com mais textos, observando: Um texto para cada inscrição.
Exemplo:
01 inscrição - R$ 55,00 = 01 exemplar da Antologia.
02 inscrições - R$ 110,00 = 02 exemplares da Antologia e assim sucessivamente.
Dúvidas: entrar em contato com: Marcelo Souza – cel/whatsapp : 71-92510196 e-mail: marceloosouzasom@hotmail.com.
O RESULTADO dos vencedores será em novembro deste ano, divulgado no site oficial do concurso: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com/; faceboook.com/psfronteiras e por e-mail.

Premiação:
1°lugar: Troféu Personalizado em forma de azulejo + 1 “nécessaire” com desenho da igreja do Bonfim + Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Livro Mundo Poético + Imã Literário: Dai-vos Luz
2° lugar: Certificado + Antologia UFO + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + imã Literário: Dai-vos Luz
3° lugar: Certificado + Livro Alma de Poeta+ poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Imã literário: Dai-vos Luz
* Menção Honrosa Internacional: Em virtude da pandemia não teremos a menção honrosa internacional, com a participação de estrangeiros.
Obs: O Livro Antologia UFO foi organizado pela LIterarte , são textos em vários gêneros sobre essa temática ; O Livro Mundo Poético é artesanal, do autor Marcelo de Oliveira Souza,IwA; O Livro Alma de Poeta é de Norma Castro de Almeida
Autores estrangeiros que participarem do evento, com endereço nacional, pagará a taxa de inscrição nacional, concorrendo pois entre os brasileiros.

Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Dr. Honoris Causa em Literatura Multi
Organizador e patrono do evento
Instagram: marceloescritor
Inscrições somente através do site:
http://celeirodeescritores.org/inscricao.asp
Opção: Prêmio Marcelo
Inscreva-se agora!

 


16/07/2020 Apresentação
Tcintra

Da casa!

Sou a imagem e semelhança de Deus.
incredulo? Não
Pecador? Talvez
Sou um homem que acredita na crucifixão

SI VIS PACEM PARA BELLUM

TCintra

 


17/06/2020 I Concurso de poesia – Sebo do Edy
EdmilsonNavesdeOliveira

Da casa!

O Sebo do Edy com o apoio do blog: www.edmilsonnaves.blogspot.com, lança o “ I Concurso de poesia – Sebo do Edy”.
O blog. www.edmilsonnaves.blogspot.com torna-se público o “I Concurso de poesia – Sebo do Edy – Resende/RJ.”

1) Objetivo
Apresentar textos na forma de poesia – entende-se poesia ou poema – um texto escrito sobre a forma de versos ou estrofes, com ou sem rima, em estilo livre.

2) Concorrentes
Somente categoria adulta acima de 18 anos de idade, a inscrição é aberta para todo o território nacional e internacional de língua portuguesa.
Cada concorrente pode se inscrever com até 2 (duas) poesias.
As inscrições serão feitas por e-mail: edmilsonnaves.escritor@gmail.com, a seguir.

3) Prazos
As inscrições estarão abertas - 18/06/2020 a 15/08/2020.
Os resultados estarão disponíveis no Blog: edmilsonnaves.blogspot.com no dia 31/08/2020.

4) Categoria
Texto redigido em extensão. Doc;
Fonte Arial, tamanho 12, espaçamento entre linhas 1.5
Conter no máximo duas páginas A4
No arquivo da obra deve conter:
Título em negrito, nome do autor do trabalho ou pseudônimo.
O arquivo deve ser anexado ao e-mail: edmilsonnaves.escritor@gmail.com
O título do assunto do e-mail: I concurso de poesia – Sebo do Edy.
Texto do e-mail: Estou enviando meu (s) trabalho (s) para participar do concurso de poesia. Colocar nome completo, endereço para correspondência e e-mail.
E uma breve biografia do autor de até 5 linhas.
5) Direitos
A simples inscrição do concorrente já autoriza a publicação do trabalho (caso) classificado em Antologia impressa ou e-book.
Os organizadores do concurso não são responsáveis por infração de direitos autorais.
Será de responsabilidades do (a) autor (a) o dever de garantir ser de sua própria autoria o texto – não plagio - podendo o participante responder judicialmente por infringir o artigo 9.610/98 de direitos autorais.

6) Premiação
Os primeiros 20 textos classificados receberão um diploma de Menção Honrosa.
Os poemas classificados serão editados e publicados em livreto Antológico com o título “I Concurso de poesia – Sebo do Edy”.
Cada concorrente poderá adquirir quantos livretos quiser em forma impressa ao preço de produção mais correios, a ser divulgado.

6) Julgamento
O julgamento encerra-se no dia 30 de agosto de 2020.
As avaliações serão feitas por uma comissão de 5 membros sem vínculos com os participantes.

7) Considerações finais
Qualquer dúvida poderá ser consultada pelo e-mail: edmilsonnaves.escritor@gmail.com
A organização do concurso pede aos amigos das redes sociais que compartilhem o máximo o regulamento desta edição, a fim de obtermos o maior número de participantes no ‘ I Concurso de poesia – Sebo do Edy – Resende/RJ”.

17/06/2020

 


14/06/2020 Vá lá Poetas!!!
Rogério Beça

Colaborador

Poesia não é só poesia
O TDM, como administrador pediu aos utilizadores para o ajudarmos numa iniciativa que pode melhorar a navegabilidade.
Não dói nem custa nada.
Não precisa registo.
Só carregar o site e seguir as instruções.

O luso-poemas é de todos!!!

 


04/06/2020 NÃO EXISTE AMOR A SÓS! (dedicado…) JORGE HUMBERTO
jorgehumberto

Super Participativo

NÃO EXISTE AMOR A SÓS!
(dedicado…)

Há, em mim, um ser um ter e um haver.
Compreenderás que se há um permanecer
resume-se que da parte d’algum
existe uma vontade explicita em não ser só mais um

que sempre mantém a porta aberta, tecer
complexo, se do outro lado ninguém interceder.
Nesse caminho, será caminho nenhum
Se acaso só houver espaço para apenas um.

Sei que tu sabes que te tenho muito amor
e que te sonho e que te penso em teu favor.
E tu, do que foges, se as pérolas são eternas?

Para te inflamar doce coração há um clamor
que espera por ti como eu pelo esplendor
tão teu; assim a alma que tu não degeneras!

Morre tudo quanto morre
fica só em nós um pouco mais que nada,
ou o tudo que incorre, de nós ao largo

Jorge Humberto
29/05/2020

 


30/05/2020 Em relação ao ocorrido
TrabisDeMentia

Webmaster

Fica registado e arquivado.
Estarei por cá, uns meses, atento.
Se puder ir mais além, irei.
Agora, por favor, poesia.

Abraços.

 


(1) 2 3 4 ... 95 »

Links patrocinados