https://www.poetris.com/



« 1 ... 8 9 10 (11) 12 »


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Sendo embalado pelo teu amor

Amor sabes?
A noite não consigo dormir,
De tanto pensar em ti queria-te
Agora aqui ao pé de mim para,
Te dizer o quanto te amo, neste
Momento estou num impasse,
Entre morrer sem o teu amor,
Ou afogar-me nele sem tu saberes.

Houve dias em que quase chorei,
Termia como se de uma doença tratasse,
E afinal era de amor que sofria, olhava a,
Volta quando via alguém com o mesmo,
Perfume com os mesmos tiques, tinha tudo
O que tu tinhas, mas essa pessoa mas não eras
Tu.

Talvez fosse um outro alguém que tal como,
Eu esperava e desesperava pelo amor da amada,
E mesmo de longe conseguia ver os olhos,
Dela, estavam meio a tremer,
Com vontade de chorar mas não conseguiam,

Apenas tremiam!

Sendo embalado pelo teu amor!

Por vezes sem ti é duro, continuar,
Sozinho sem ter um colo onde me aninhar,
E os beijos para matar esta dor que á muito
Me deixam sem chão.

Assim nem quero saber da razão do porque,
Apenas quero sentir de novo o que um dia
Senti, não me deixes morrer assim, não me deixes,
Aqui sem forças para continuar, não te limites a ficar,
Só no meu pensamento, ter-te dentro de mim a cada,
Momento e não saber o que fazer.

Dói! Ai como dói ser um fantasma e ficar,
Pequenino sem o teu doce beijo, e nem mesmo
O sonho mais bonito irá bastar, apenas te queria
Beijar, fazer amor contigo e voar, já houve tempos,
Em que o nosso amor ficava gravado nas estrelas,

Mas hoje em dia esta sepultado, mataram-no e deixaram-me,
Refém de um doloroso passado, cortaram os meus passos,

Mataram-me!

Ricardo Neves


Criado em: 25/11/2010 21:26
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Porque te sentas aqui sozinha? Aproveita e vem comigo!

Já deves andar triste e chateada de seres ignorada,
Sempre que esta gente te convida a festas, e ninguém
Se digna uma conversa contigo, todos já tem par menos,
Tu, e como te acham ninguém, ficas virada contra as
Paredes sem ter ninguém com que conviver.

Começas a pensar porque vieste a uma festa,
E quando tentas conviver com seres humanos,
Ninguém te liga, e deixam-te a lamentar aos ventos,

Fazem sempre questão que apareças mas depois ninguém te fala!

E eu compreendo a tua insatisfação assim nem eu queria,
Estar ai, mas estou, olhei para ti com olhos de gente,
Estavas de cabeça baixa queixo caído, uma guerreira
Com um ar vencido.

Aproximei-me com tacto pedi se podia sentar,
A teu lado a conversar, e comecei por perguntar,
Porque não estavas tu também a te divertir, e a sorrir,
Juntamente com o resto das pessoas, pois se não estavas
O que estavas aqui a fazer?

Nunca entendi como puderam convidar alguém,
Para depois deixarem a pessoa triste e a chorar,
E nunca ninguém me conseguiu explicar.

Levanta a cabeça e mostra um olhar determinado!

Mostra a esta gente que se não estas aqui a fazer nada,
Mais vale abalar, e ires te divertires para outras paragens,
Visto que nestas paragens te fecharam a porta.

Porque te sentas aqui sozinha? Aproveita e vem comigo!

Aqui tens um amigo com que podes rir, chorar e desabafar,
E nunca de lado te irá deixar, eu não sou como toda a gente,
Eu sou um ser humano, que erra e aprende com os seus erros,

Mas nunca deixei ficar mal a minha gente,

Amigos para sempre?

Ricardo Neves


Criado em: 25/11/2010 21:27
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Sempre que começava o verão

Via-te da minha janela esses cabelos loiros,
Era pura alegria no estado mais puro, respirava-se
A tua essência, não sei se poderei chamar de demência.

Mas o facto de te ver fez-me a coragem de descer as minhas escadas,
Para te falar, combinar algo contigo, ser feliz assim aqui agora, contigo,
Sempre que te via não pensava no meu umbigo, era no que a dois
Iríamos construir.

E lá sorrias quando da janela eu acenava-te, e nem sabias,
O bem que fazias a este coração despedaçado pelo tempo,
E sempre a cada momento, a magia não era o verão em si,
Mas sim sempre que o meu coração te via.

Sempre que começava o verão!

Podia até ter asas e voar para junto do teu,
Amor por mim, pelo menos eu pensava assim,
Até que um dia fui ter contigo confirmar o que sentia,

Apareceu ele e acabou com essa mesma magia, tinha carro,
Muito dinheiro, e soube te dar a volta, já eu andei
As voltas sem saber onde acabava e nunca tinha,
A certeza onde começava.

Nesta vida a única certeza já todos conhecemos,
Fazemos escolhas na vida que vivemos umas vezes
Atolados na multidão, outras dedicamo-nos de corpo

E coração a uma paixão!

Ricardo Neves


Criado em: 25/11/2010 21:29
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Mãe conta-me aquela história que me contavas em bebé

Faz me de novo acreditar que o homem é incapaz de matar,
Que o dinheiro deixara de importar em certos momentos,
Não me deixes sozinho com os meus lamentos, agora sou
Pequenino preciso do teu carinho quero voltar a ser pequenino,
Outra vez, mas desta vez quero agarrar a vida que perdi.

Quero de novo ser a criança que um dia foi feliz,
Quero voltar a conhecer quem conheci, e agora
Lhes perdi o rasto no vento do tempo, ser
De novo o meu próprio momento em que me
Deixava levar pelo sentimento.

Mãe abraça-me nesta noite fria conta um bocadinho,
Das historias de magia ,magos e seus reis e castelos,
Muralhas que separavam o sonho, fechava os olhos
E entrava logo no mundo dos sonhos.

Mãe conta-me aquela história que me contavas em bebé!

E eu arregalava os olhos e seguia com muita atenção,
Cada parte da história, fechava os olhos e logo me vinha
A memoria a tua historia, onde pelo teu contar nunca havia,
Inglória apenas era uma boa memoria.

Leva-me de volta a quem eu já perdi, deixa-me
Ficar de novo aqui assim ao pé de ti, sempre que a casa eu chegava a,
Chorar tu me perguntavas o que se passava, e eu a principio,
Hesitava mas depois aninhado em teu colo contava, e chorava.

Não me cortes a asas do meu sonho que sempre,
Foi ser acarinhado, e nunca fiquei desapontado,
Apesar de muitas vezes em pequeno ter errado,

Era e sou amado, graças a deus que nunca fui negligenciado,
Pelo teu amor, apenas abraçado pelo teu amor

De mãe! para um filho que seja ele como for será amado!


Ricardo Neves


Criado em: 25/11/2010 21:30
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Muito forte muito fraco e depois vem o cansaço

Assim é o amor que já causou a todos,
Muita dor numa escala que é impossível,
Classificar amar será sempre vezes infinitas,
Pois quem ama não da nota mas dá a paixão.

Como se de um ídolo tratasse e mesmo assim,
Não sei se poderemos chamar de ídolo ao amor,
Da nossa vida a quem chame o acto de amar,
Heroísmo eu chamo o acto de altruísta pois o amor,
Vem sem preço e jamais tem escrito adereço.

Existe ainda quem assemelhe o amor as ondas,
Do mar por vezes revolto noutras muito fraco,

Muito forte muito fraco e depois vem o cansaço!

Amar a cada dia por vezes é pesado pois o nosso,
Amor pode ser espezinhado numa era em que os
Derrotados juram nunca mais ficar apaixonados,

Mas será que lá por não se querer amar mais ninguém
Será sinonimo de fraco e cansado? o amor quando vier,
Ataca no peito do forte do cansado e do descrente,

Amar por pena é sinal de covardia durante uma vida,
Só porque assim estava escrito mas onde?
Em que livro aparece esse desígnio? amar devia ser,
Como um novo fascínio escrito no livro da vida,

E a alegria de uma vida sem ser forçado,

Porque não experimentar o amor dos dedicados

E cem por cento apaixonados?

Ricardo Neves



Criado em: 11/12/2010 21:17
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Perguntei se gostavas de mim e tu sorriste

Dizendo-me assim,

Amor eu nem sei se amanha estarei,
Por aqui mas gosto de estar ao pé,
De ti ver-te sorrir aqui assim,

Não sei onde me meti só sei que quero,
Ficar aqui juntinha ao pé de ti,

Acreditas que era suposto nós estarmos aqui?

Sabes meu amor acredito que sim,
Muito eu percorri para estar aqui,
Sentado ao pé de ti não penso,
Somente em mim gosto de estar
Aqui.

Fazes tudo valer a pena embora,
Por vezes a vida nos entristeça,
Espero que me ames com o
Coração e só uses a cabeça,
Para pensares em mim quando,
Não estiver por aqui.

Perguntei se gostavas de mim e tu sorriste!

E partiste mas no fundo até posso,
Imaginar o que sentiste,

Amor por agora abalaste,

Espero que um dia retornes aqui,

Ao pé de mim!

Ricardo Neves



Criado em: 11/12/2010 21:20
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Talvez acredites no amor e não te sacrifiques pela solidão


Acredito que hade vir o dia em que viras,
As costas a solidão e partas para um cantinho,
De luz no teu coração faças o que sempre quiseste,
Mas essa mágoa nunca o deixou.

Sei que por vezes te apetece gritar mas depressa,
A tua voz é tapada pela dor de certos momentos,
Em que por vezes escolhes o silenciamento da dor,
Muito pouco carinho e andas nesta vida sem,
Saber o porque de tamanha aberração de sentimentos.

Querias ser um pássaro para poder voar até encontrares,
A tua própria paz e deixar este passado de poucas alegrias,
Para traz mas não és um pássaro,
Talvez um dia possas voar mesmo sem acreditar,
Mesmo sem saber se te irás despenhar.

Talvez acredites no amor e não te sacrifiques pela solidão!

Ela mata até o sentimento mais acolhedor causa dor,
Fere o teu orgulho e tu no lugar do coração tens
Um espinho e ele dói quando recordas aquele momento,
Que um dia vivemos mas hoje em dia aos poucos,
Morremos de solidão com imensos espinhos,
No coração.

Em tempos querias ser uma gota neste oceano da vida,
E eu queria ser esse mar que acolhe a tua gota e transformar,
Essa gota em mar queria te amar sem nada mais que nos
Impedisse

Eu sei que sentiste vida!

Eu sei que a cada dia este imenso mar com cada,
Gota desse céu crescia imensamente transformando,
Cada lágrima tua num enorme lago onde nus nos banhávamos,

Eu sei que de certo modo partiste,
E teu interior morria a cada dia,

Por isso digo e repito,

Talvez acredites no amor e não te sacrifiques pela solidão!

Talvez me vejas e acredites no que podemos construir,
Talvez vejas o que neste momento

Estou a sentir!




Ricardo Neves


Criado em: 15/12/2010 20:00
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poème
Très fort trop faible, puis vient la fatigue

est donc l'amour qui a causé tout le monde,
Beaucoup de douleur sur une échelle qui est impossible,
Trier amour sera toujours temps infinis,
Pour celui qui aime pas la note, mais donne la passion.

Comme si c'était une idole et pourtant
Je ne sais pas si on peut appeler l'idole de l'amour,
De notre vie qui appellent l'acte d'amour,
L'héroïsme j'appelle acte altruiste de l'amour parce que,
Il est sans prix et n'a jamais écrit un prop.

Il ya encore ceux qui aiment ressemble à des vagues,
bruts à d'autres moments très faible de la mer,

Très fort trop faible, puis vient la fatigue!

Aimer tous les jours est parfois difficile pour les nôtres,
L'amour peut être piétinés dans une époque où les
Fallen vœu de ne jamais tomber en amour,

Mais ce n'est pas là pour tous ceux qui veulent aimer plus
Est synonyme de faiblesse et de fatigue? quand l'amour vient,
Les attaques sur la poitrine d'une forte fatigue et cynique,

L'amour pour la pitié est un signe de lâcheté pendant une durée de vie,
Juste parce qu'il a été écrit bien, mais où?
Dans ce livre, il semble que le design? l'amour devrait être,
Comme une nouvelle fascination dans le livre de vie,

Et la joie d'une vie sans y être forcé

Pourquoi ne pas expérimenter l'amour de dédié

Et à cent pour cent dans l'amour?

Ricardo Neves


Criado em: 18/12/2010 9:27
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
Participativo
Membro desde:
26/5/2009 14:20
Mensagens: 25
É tão dificil
mas quando fecho os olhos
vem tão subtil
como o anjo do silencio
E é essa parte
é essa imagem do jardim das delicias
da inspiração que é o amor
personalisado na imagem
da super heroina poesia

Criado em: 18/12/2010 21:18
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Inspiro-te? Então escreve-me...
sem nome
Poema
Usted vino sin previo aviso me amas sin mi previo aviso


Solo tiene que mostrar a mi lado pensaba que el amor,
Se trata de un juego en el que tira los dados y todo lo que Dios quiere
¿Le dices que me amas, pero a veces no lo que yo entiendo es,
Ante el temor de una conspiración lanzas a sus sitios web y tratar de ver la luz,
En medio de esta bola de pelo en el formulario.

Pedes olvidar el amor y te ama todavía aquí
Y para usted hasta que yo podría amar tanto sin querer
Sabiendo lo que viene después de los dos jugado a este juego
Nos encanta lo que haces con el afecto o el amor del padre,
Estuvo perdida durante siglos.

¿Puedo darle el amor que se le negó en las hojas,
Besa a tu hermoso rostro y hacer el amor que nunca fue
Demostrado por los actos o palabras,

Usted vino sin previo aviso me amas sin mi cuenta!

Te amo y no tienen ni siquiera las notas que podía para usted,
Para matar la carta de amor para ti, no te asusta,
Y sin embargo, que se ahogan en su propio mar que me ahogo
A sacrificarme por ti, para mí tener en cuenta

La natación es un medio aturdido y un poco de golpe al corazón,
Todo esto para pasar mi dulce emoción
Yo soy tu única persona que me amas, aunque
Ámame como un pobre, incluso si me ves,
Respetuoso, aunque su soledad frente,
Aun despojado de emoción,

Dibuja mi corazón que si te vas,
Menos ansiedad y los poros de su seno la ira
Ver a un hombre cansado, pero confuso para usted,

Apasionado!

Déjame entrar en tu pecho alguna

Manera en que yo no los culpo!

Ricardo Neves


Criado em: 19/12/2010 14:52
Transferir o post para outras aplicações Transferir



« 1 ... 8 9 10 (11) 12 »




Links patrocinados