« 1 2 (3)


Re: II - Apresentação no Porto do livro - Na fúria do nós de Hélder Magalhães
Colaborador
Membro desde:
28/9/2009 15:28
Mensagens: 1168
Maravilhoso este evento, e conhecer-vos foi fantástico e uma boa surpresa!
Beijos e abraços,
Joma Sipe

Criado em: 23/11/2009 9:21
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: II - Apresentação no Porto do livro - Na fúria do nós de Hélder Magalhães
Super Participativo
Membro desde:
24/10/2007 7:25
De Porto
Mensagens: 131
Infelizmente não consegui estar, e já tinha na agenda das inventualidades, quando o meio de locomotividade dá o pifo penso porque raio é que eu não tenho rodas, a natureza deixa muito a desejar. Estive em espírito, obviamente, e ficam os desejos de continuações das fúrias de nós e vós.

Abraço.

Criado em: 23/11/2009 10:02
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: II - Apresentação no Porto do livro - Na fúria do nós de Hélder Magalhães
Colaborador
Membro desde:
15/2/2007 12:46
De Porto
Mensagens: 2699
pena não ter pegado antes num exemplar da Gina. ehehehe!



...até à proxima! até lá prometo levar os apontamentos a 20 e a máquina fotográfica.

obrigada a todos pelos momentos únicos.

beijo

Criado em: 23/11/2009 14:06
_________________
" An ye harm none, do what ye will "
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: II - Apresentação no Porto do livro - Na fúria do nós de Hélder Magalhães
Colaborador
Membro desde:
14/8/2008 11:14
Mensagens: 2856
Já deu para ver que foi um dia muito bom!!!

Tudo de bom aqui de "mim"

Beijos

Criado em: 23/11/2009 19:55
_________________
Cristina Pinheiro Moita /Mim/
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: II - Apresentação no Porto do livro - Na fúria do nós de Hélder Magalhães
Colaborador
Membro desde:
10/4/2009 17:03
Mensagens: 648
Gosto muito deste tipo de eventos, deste e de outros em que a tónica é acreditar, acreditar que lançamos redes de alcance das estrelas que vai de um livro até ao infinito, acreditar que vamos encontrar gente que respira o mesmo ar, ar simples sem genuflexões, ar de rua sem essências de ilusões que só servem as desilusões!
Razões muitas, entre as anteriores, também surgem, principalmente no contexto deste espaço, o Luso, saber realmente das pessoas que nos perpassam diariamente com escritos do seus sentires, com escritas de sentir, que nós vamos enquadrando e imaginando nas suas formas, os seus estares, até as suas idades, tudo o que a nossa mente cria para ter interlocutores de rosto feito!
Surgem as surpresas de notas várias, surgem as certezas, estas de uma só nota, e surgem, estas menos esperadas, mas talvez por isso interessantes, as que se mantêm incógnitas! No desejo de tudo definirmos há sempre o prazer do indefinido que nos faz caminhar.
No resumo deste evento adorei ficar surpreendido com o que senti, notas simples de cantares interessantes cujo fito é conviver em atmosfera de prazer comum, a escrita e a leitura, sem prevalência de ninguém mais do que quem merecia toda a atenção, o Hélder, mas mesmo ele numa tónica de um entre pares, que por acaso estava a lançar mais um sonho seu!
No fim tão bom estar, falar, comunicar, fluir sem percalços e irmos pelos caminhos que cantamos e cada um depois ir-se, respirando ainda o ar que nos encheu os pulmões, expirar satisfação e lembrar com um sorriso de beatitude o bom que foi estar ali, naquele momento, com aquelas pessoas, que as não conhecíamos em as conhecendo!
Momento bom sem necessidade de poetização do sentir.
Obrigado a todos e em particular ao Hélder cuja maneira de estar, de certeza, fez que o momento fosse o que foi!
Mais umas vez felicidades para o teu filho, árvore ou … livro, e beijos para os restantes!

Criado em: 23/11/2009 23:43
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados