AMANTE DAS SÍLABAS

Data 23/07/2007 13:58:18 | Tópico: Poemas

Eu beijo a beleza do que escrevo
Não do que digo
Eu invejo minhas próprias letras
E me revitalizo

Quando uma sílaba me foge corro atrás
Não posso ficar com nenhum ar perdido
Aí eu me sinto
Um pouco aturdido

Ao alcançá-la
Beijo a danadinha e a chamo de amada
Ela sorri toda encantada

Confesso-lhe meu amor e sem ela
Minha insignificância
Nem me importo com redundâncias.

Marília L. Paixão


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=12737