Sou ninguém

Data 27/07/2010 12:32:56 | Tópico: Poemas -> Amizade


Sentes a suavidade da brisa
roçando o teu semblante,
nas madrugadas pardacentas
deste Outono que chega?

Sou eu que te afago

Sentes os ruídos imperceptíveis,
daqueles que se cruzam contigo
na alameda da vida?

Sou eu que falo de mim,
para que te compreendas a ti

Sentes o gotejar da chuva
escorrendo no teu corpo cansado?

Sou eu que acaricio os poros da tua alma

Sentes a vida que por ti passa?
saúda-a com um sorriso,
mesmo que ténue,
contempla-a e em pequenos goles
sorve-a, bebendo na fonte translúcida
e voa para a plenitude de ti

Porque foi comigo que te cruzaste
na distancia de mim, num tempo qualquer

Sentes? sou ninguém
mas estou aqui, sempre aí
aconteça o que acontecer.




Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=143615