Reminiscência

Data 09/08/2007 16:13:17 | Tópico: Poemas

Quero ser lembrado como um todo:
Por cada passo certo,
Por chegar, talvez, tão perto
Do ápice ou do lodo.

Meu espasmo de sensatez –
Minha loucura sensata,
Ou minha qualidade inata –,
Só quero que ecoe cortês.

Pois, agora, vos digo e me desfaço em féculas:
Aos que viram meu parto,
Aos que choram agora que parto,
Me parto em moléculas:

Do barro, o grão;
Do ar, o oxigênio;
Mas que eu dure mais de um milênio,
Provando que nada foi em vão.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=14426