Dia odiável

Data 22/11/2011 21:37:13 | Tópico: Poemas

Sento-me entre as relvas
E começo a chorar
Mil lágrimas saem de meu rosto
E me jogo entre as brasas da solidão

Que começam queimando minha pele
Até chegar ao coração,
A parte mais dolorida

Que queima devagar ,
Aumentando o sofrimento
Até que uma hora
O coração não aguenta

Para de bater
E morro afogada nas boas lembranças
Sentindo saudades daquilo tudo
Tenho vontade de voltar no tempo

Mas não é possível
E continuo triste e pensativa
Sem poder fazer nada
Então acabo minha vida

Penso que minha vida não presta
Desisto de tudo
De aprender e tentar,
De tentar recomeçar

Perco pessoas queridas,
E então sim
Percebo que quem estava errada,
Era eu.
Ontem meu dia foi igual a o que acontece no poema.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=206428