injusto é o amor que murcha

Data 29/06/2012 18:43:59 | Tópico: Poemas -> Amor


não há bonina que me apraza o cheiro
se quadrar seca
mas há, malmequeres a florir meu aroma
simplificado aroma que traz
todas as madrugadas
remotas madrugadas que alma abre os olhos
e entra como hóspede
porque há, flores a alar-me
pensamento sem fronteiras
porque há, um sonho que vai e segue
rumo a algum lado
depois, volta, ambíguo cheiro
a quebrar todas as rosas
a cegar todas as madrugadas
das boninas que me apraza o cheiro
se quadrar, secam





Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=225664