Babilónias

Data 31/03/2013 16:43:36 | Tópico: Poemas


Havia num arco-íris um tesouro
Uma moura encantada num monte
Um homem com cabeça de touro
E um ovo bem no meio da ponte

Havia num segundo todo o tempo
Liberdade até para se escolher
Todo o ouro-Íris em fogo lento
Mais o direito a não se nascer

Havia bem no meio da ponte um ovo
Ninguém sabia a quem pertencia
Daqui não saio, daqui não me movo
Ouvia-se de dentro como poesia

Até que a casca estalou como verniz
De cócoras um touro quase homem
E nas mãos a cabeça de quem o diz

Não me julguem pelo que me tomem
Não me obriguem a ser de mim, juiz.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=244814