SEGREDO

Data 28/09/2013 06:15:08 | Tópico: Sonetos

Segredos guardados, jamais esquecidos.

Ditados e explorados em livros

Ocultando-me,não autorizando tal exposição

Histórias exclusivas descritas do meu coração



Um jardim que não floresceu

Morreu-se sem muitos aplausos

Verdades camufladas, ignoradas e restritas.

Incorporadas dentro do meu eu



Quantos apelos foram feitos, não quiz ouvir

Atrás das cortinas me escondi

Tive medo,chorei,lamentei, morri.



Cortinas fechadas com um fim arruinado

Há sempre um recomeço quando tudo se finda

Que se rastreado pós-morte transformará num belo espetáculo.


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=256059