A MINHA TARDE.

Data 07/04/2015 19:02:43 | Tópico: Rondel

Nos afetos, o que se promete no auge do querer, não se sustenta no pico das discórdias.
MJ.

A minha tarde neste meu quarto solitário,
Foi Recenseada pelo canto de uma rolinha,
Que em meu quintal se fazia tão despojada,
Dando a entender que não era nada minha.

De vez enquanto eu dava minha cochilada,
E acordava por qual razão tu me adivinhas
A minha tarde neste meu quarto solitário,
Foi Recenseada pelo canto de uma rolinha.

Andei sonhando com uma ilha encantada,
Mas sua beleza era bem parca e mesquinha,
Tive um insite de encontrar uma namorada,
E nada disto confirmou-se foi bem lendário,
A minha tarde neste meu quarto solitário.


Enviado por Miguel Jacó em 07/04/2015
Código do texto: T5198254
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=290806