A peixeira Silvina

Data 08/07/2015 00:00:24 | Tópico: Poemas

Recordo aquela peixeira
Que vivia na minha rua
Trazia os filhos em prosa
E um carrinho de roda nua.

O sítio ficou vazio
Sem saltos endiabrados
Que os seus filhos tanto deram
Junto aos sacos e trocados.
Trazia o carapau fresco
Junto à mosca e ao moscardo;
Ela vendia na rua,
Sem licença de mercado.

Apregoava ao freguês…
Com um sorriso de alegria,
Esquecia as marcas no corpo
Daquela vida tão fria.

Mesmo manca…lá vinha ela…
De faca e alguidar;

Para amanhar tanto peixe
Que o povo comeu para ajudar.



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=295924