O Astronauta no quintal

Data 16/05/2016 17:02:40 | Tópico: Poemas -> Fantasia

Com os pés rijos no chão
Alinho-me acima do horizonte
Contemplo o infinito
E as minhas trivialidades
Laços indissociáveis
De minhas contradições

Alçar voo
E carregar o planeta sob meus pés

Hora sou Fênix
Hora avestruz

Caminho reticente
Entre meus sonhos e minhas realizações
Sonhar rotinas
E realizar fantasias
Parece o quinhão da vida sem o "hoje"

O carpe diem do café da manhã
O inesquecível do molho na camisa
O indecifrável cheiro de lar...


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=309367