CACHOEIRAS

Data 09/10/2017 17:04:02 | Tópico: Sonetos

CACHOEIRAS

Alucinado, em ti derramo sonhos.
Da tua pele o gosto deixa ardendo
a minha boca de prazer tremendo.
Olhares falam de um querer, risonhos.

Sob o calor dessa paixão, sozinhos
alados, vamos pelos céus voando.
Lubricidade brada, é voz, comando
aos incansáveis, juvenis carinhos.

Ao te tocar, a sede não contenho.
Dessa torrente o coração inundo.
No leito doce um éden te desenho.

Maravilhoso, amada, nosso mundo
tem cachoeiras quentes... Quanto engenho!
Em fantasias mergulhamos fundo...


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=328841