De igual para igual

Data 28/07/2018 12:57:46 | Tópico: Poemas

De igual para igual tudo se completa. Como é fantástica a sombra, o reflexo, a virgem imaculada.
De igual para igual, tudo se organiza em prol de um objectivo comum. Como é evidente, a áurea que envolve as multidões em movimentos abertos, enfrentando os seus próprios medos.
De igual para igual, nem tudo é igualmente sereno. Como é desigual a volta que dão em torno de um pequeno astro, acabado de chegar à terra.
De igual para igual, nem sempre se pensa, nem sempre se sente, nem sempre se É o Todo.

Dolores Marques (ONIX)


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=337939