Chagas

Data 10/10/2018 18:00:32 | Tópico: Poemas -> Amor


Chagas

De tão apodrecidas, negras e fétidas
No teu peito explodem estas velhas chagas
Lágrima silenciosa de ti se apiedas
E escorre lenta em tantas faces alvas

Queixas ao franzir a tua testa ardente
Gotas de delírios neste eterno mar
Vestes soberbas em teus celestes panos
E um dor infinita que não quer largar

Se isto é a vida, e viver é esta loucura
Ter nos olhos sonhos isentos de doçura
Com a alma paralela a um holocausto

Refazendo-se sempre em plena agonia
Em espelhos que refletem a tirania
Neste corpo todo apodrecido e exausto.

Alexandre Montalvan



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=339736