Leveza dos meus sentidos

Data 07/07/2019 17:36:58 | Tópico: Poemas

Nas cinzas que arrefecem diante o tempo
a reduzir a pó os poemas e quem os faz
o início e o fim de uma vaga eternidade
imprimo nesta folha afumada
o relevo branco de teus traços
a surgir no amanhecer onde voltarei a nascer
a frágil leveza dos meus sentidos
algures para trás ficou a sombra do meu espírito
quebra a palavra da frase que escrevo
abrem-se em amor mistério e com virtude
rompem o céu caído na lama em busca do divino
palavras eternas – mais do que arrisquei
espalho palavras pelos campos apenas amiúde
em luta desigual com tempestades-um destino!




Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=344548