Entre pingos de chuva

Data 25/07/2021 12:01:20 | Tópico: Poemas


Perguntas pelos horizontes

que me iludem as águas. São a chama

que me escreve o mundo

a luz que me ensina a soletrar a morte

que há de chegar.

Poderão ser palavras

que envelhecem contra a noite

ou as coisas improváveis

que recolho nas minhas mãos desprevenidas.

Talvez o relâmpago que se entranha no mar

ou a sílaba

amarrada

que transpõe as margens

no poema.




G.


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=358215