Devaneio do pensar

Data 26/08/2008 07:10:28 | Tópico: Textos -> Tristeza

Devaneio do pensar

Sentado.
Caminho pelas estradas tormentosas do pensar,tento não me afogar em mares agitados e marés velhacas que me enganam no agir, corro em pânico pelas florestas pardacentas da memória, e tu...que surges lá bem no fundo meio enublada, meio estranha, meio distorcida, meio tu...e voltam as estradas, mais compridas, mais esguias, volta o mar que se brande cada vez mais e me esbofeta sem pudor, sem pena. As florestas cada vez mais opacas, as copas mais altas, as pedras mais afiadas, o vento mais frio.
Chego ao pé de ti, de pés feridos, olhos empolados, de roupa molhada,vencido pelo álcool. Vencido pela fraqueza. Vencido por tudo.
Continuas meio tu. Ao menos, ainda és tu.


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=49760