RODINHA26-SONETO DE AMOR (MARMELADA)

Data 12/06/2007 03:10:50 | Tópico: Poemas -> Amor

Na hora de lanchar atraquei
Meti a mão no cesto (violação)
E duas tristes palavras tirei:
O ele e o ela que poisei no chão

Misturaram-se os dois
Um e outro davam nó
Para um pouco depois
Um e outro ser um só

E o amor misturado na areia
E movediço até à exaustão
negava o mito da razão

Estavas embrulhada numa teia
De lua cheia molhada
Óh minha marmelada<br />




A viagem continua. Invocação das tágides numa ode ao amor

...................................................................................................
Desculpem voltar a publicar este poema mas é a próxima página do livro que ora publico. Foi o primeiro poema (experimental) cá no luso e teve honras de poema mais lido. Não volta a acontecer, mas pelo certo, quero manter a publicação fiel ao manuscrito.


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=9299