AS POMBAS E A CATEDRAL

Publicado em 11/04/2015 02:15:58 | Tópico: Júlio Saraiva

as pombas da praça da sé falam
um silêncio alto mas só as pedras
da catedral conseguem ouvir

as pedras da catedral da sé relembram
para as pombas histórias de um tempo
nublado que trazem vivas na memória

ao anoitecer as pombas da praça da sé
ficam tristes como as mulheres que perderam
o paradeiro de seus maridos e filhos

as pedras da catedral da sé consolam as pombas
recitando trechos de missas antigas
as pombas respondem amém choram um pouco
e vão dormir enquanto a catedral permanece
acordada em sua eterna vigília



* http://currupiao.blogspot.com.br/



Este poema vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=8402