https://www.poetris.com/



(1) 2 3 »


Corpos & Pedras
sem nome





Criado em: 9/11/2020 20:59
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome
"Por que amar o que vais perder? Não há mais nada para amar"

Louise Glück

Criado em: 11/11/2020 18:07
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome

Criado em: 11/11/2020 21:15
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
Colaborador
Membro desde:
3/9/2012 3:38
Mensagens: 16905
A, Cruzeiro Seixas soube viver, um privilegiado que deixou grandes obras para serem admiradas! Sobre o porquê amar se irá perder...
Triste isso, jamais deixaria de amar meus gatos(de 4 patas) mesmo sabendo que irei perdê-los um dia, já que a expectativa de vida deles é menor que a dos seres humanos! Se você assistir os vídeos matinais do meu gatinho(ele me acordando com mordidas e lambidas), vai perceber que é impossível não amá-lo! Há muitos motivos para amar nessa vida! Assisti um filme que fala sobre isso também, um casal que se conhecia desde o colegial, era visível que se amavam, mas passaram anos e anos com contratempos, curtindo a liberdade e quando decidiram ficar juntos de verdade...
Chorei horrores! O filme é lindo! Super indico! Aqui no Brasil o nome é Um Dia!

Criado em: 11/11/2020 23:11
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome
os teus gatos teem quatro patas! eheh confesso que eu não poderia acordar ao lado de gatos porque eu sou alérgico ao pelo, mas gostaria muito de acordar todos os dias ao lado da minha gata. é tão fofinha.

a arte é acima de tudo um questionar. também é um refletir porque estimula também o questionar e essencialmente o passo seguinte.

bom, a dor da perda é algo... digamos que é algo que me poria a falar o dia todo e não vale a pena. mas tem na sua maioria repercussões que podem ser muito negativas no sistema nervoso do ser humano.

o amor... o amor é uma capacidade que ou temos ou não temos no coração. desde finais do século passado que o amor entrou em desuso, desuso esse acentuado com a globalização fruto do apelo ao consumo tornando o ser humano cada vez mais materialista ao ponto de amar somente a própria sombra. ora isso não é amar. eu tenho respeito pela sombra, mas entendo que o amor é para dar ao nosso semelhante porque de outra forma a natureza morre coxa. existir é isso, é a interação da natureza, no caso das naturezas, só assim o mundo se completa.

eheh olha, madruguei para ir à pesca, vou aproveitar a maré.... queres café e compota de frutos silvestres com pão, ou pão com compota de... eu como sou lambareiro gosto mais de compota com pão eheh

O Cruzeiro Seixas... não foi o primeiro surrealista português porque o primeiro foi o Amadeu Sousa Cardoso, mas foi ele o Mário Cesariny e outros quantos os responsáveis por trazer para cá o surrealismo. não há muito a dizer porque o documentário tem lá tudo.

J, um bom dia

Criado em: 12/11/2020 5:47
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome
O mundo é um lugar perigoso para se viver, não por causa das pessoas malignas, mas por causa daqueles que nada fazem contra isso.

Hitchcock

Criado em: 13/11/2020 10:51
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome

Criado em: 13/11/2020 11:24
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome


Onde está o sublime bêbado? Será o grande bêbado?
Este pequeno mistério imponderável
Perturba-me sempre à meia-noite:
– Para onde foi, para onde levou a sua caneca?
Para onde foram eles, os meus amigos, os que não têm porto?
Já não se lamentam nos bares, já não se fazem ao mar;
Um estremecimento da vontade e então podem sonhar,
Vivendo enfim as vidas que sempre ansiaram –
Intermináveis corredores de botas para lamber,
Ou no fim de todos eles o Pope com a sua biqueira.
Onde estão os teus amigos, seu tolo?, só te resta um,
E também esse já te enjoa –
Embora muito menos que os outros; e isto sei muito bem,
Uma vez que sou o último bêbado: bebo sozinho.

O Último Homem No Dôme, poema de Malcolm Lowry

Criado em: 13/11/2020 18:02
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome


Criado em: 14/11/2020 23:36
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Corpos & Pedras
sem nome
"Escrever não é uma simples volúpia, ou uma responsabilidade moral.
Deve ser um acto de cruel religiosidade, uma espécie de inteligentíssima expiação do crime obscuro de não ter morrido."

de "Apresentação do Rosto", Herberto Hélder

este agradeço ao nosso querido amigo... boxer. grato caríssimo

Criado em: 15/11/2020 1:22
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados