https://www.poetris.com/
   Todas as mensagens (Manufernandes)


(1) 2 3 4 ... 7 »


Re: Novo tema no Luso-Poemas
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Ainda relativamente à minha intervenção neste tópico, com toda a liberdade de expressão que me é devida e, legalmente perante o Direito de publicitar o desmentido, ou exercício de resposta, de de igual forma e com a mesma visibilidade, qualquer calúnia ou insinuação publicada contra mim.
Apraz-me comentar que o dito se auto identificará e
acusar-se-´a, se o não fez ainda, voluntaria e desesperadamente.
Sem argumentos contraditórios perante os factos apenas poderá tentar confundir os leitores com historietas esfarrapadas com as quais se identifica plenamente.





Criado em: 28/4/2015 23:31
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Novo tema no Luso-Poemas
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
ahahaha
Gostei do ingénuo...
Pese embora um bom poeta tenha de ser inteligente
e inteligência não rima nem combina com ingenuidade
na verdade o Ser humano é sempre ingénuo com tudo o que
desconhece.
No caso da ingenuidade que frisa ter nas indirectas só acontece porque um inocente não interpreta bem o sentido.
Já quem tiver "culpas no cartório" entende-as em profundidade, nos mínimos e disfarçados detalhes.
Gosto da palavra ingénuo;
É bonita!

Criado em: 28/4/2015 14:47
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Novo tema no Luso-Poemas
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Mero esclarecimento:
Na minha participação acima mencionei o que me parece servir o extinto dedo vermelho por experiência própria. Ou seja, a minoria dos dedos vermelhos que recebi nos meus textos foram do UMAV, do AZKE, do JABER (os quais tiveram a honestidade, a frontalidade de se identificarem e comentarem) e provavelmente de alguém mais.
Porém, a maioria, a grande maioria, quase totalidade, das "dedadas" vermelhas nos meus textos, foram dadas por vingança ( facto provado na época em diferentes momentos e, em dois dos casos, obtive a confissão quando ficou "encurralado" sem poder negar as ações.
No meu comentário acima usei o tempo verbal futuro ao referir-me a um utilizador habitual do dedo vermelho.
Qualquer um que se identifique ou se sinta acusado com o que comentei pode ser que seja:
- mera coincidência
-dor de consciência
-má interpretação
-burrice ao identificar-se

Criado em: 28/4/2015 13:27
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Novo tema no Luso-Poemas
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
O novo "visual" agrada-me. Como disse a "eusouvc" parece mais limpo e menos confuso (pese embora no ínicio nos confunda por falta de hábito)
Quanto ao dedo vermelho, era mais usado, embora não só, para a vingança de FALSOS do que para crítica.
O problema não era o dedo e sim a mente tacanha de alguns da maioria dos seus utilizadores.
Um dos principais ultilizadores virá dizer que criticar não ofende ...(blá, blá, blá) e di-lo-a para esconder a verdadeira função pessoal de vingança.
Apesar do insignificante valor da minha opinião, aprovo integralmente as alterações recentes.
Parabéns ao "novo" Lusopoemas!
Parabéns ao Trabis!



Criado em: 28/4/2015 6:46
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: remoção do usuário "gyl" por preconceito e racismo
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Azke, vejo que não quiseste sair sem, inteligentemente já que escreveste o tempo verbal no plural, deixar
no ar "lenha para a fogueira" que um qualquer possa aproveitar para se vitimizar mas, como não quero, DE MOMENTO,
atrapalhar a tentativa do Trabis de pacificar o site nem "enfrentar a Administração" fica, POR AGORA, assim.

Criado em: 4/4/2015 9:49
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: remoção do usuário "gyl" por preconceito e racismo
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Aske, acredite que lamento a sua saída como lamento a saída de tantos outros que no meu curto tempo de Luso já vi saírem. Lamento mais a saída dos que educadamente interagiram comigo e, voce era um deles. Nunca tive qualquer problema consigo.
Não sendo hipócrita, como você tampouco o é, ao contrário de outros mais perigosos, reconheço que lamento tanto mais quanto mais interagia com essas pessoas. Deixei quase de comentar o texto de outros devido às provocações e mal-entendidos.
As obscenidades são desnecessárias e, creio esse foi o seu, e não só, grande erro se assim quiser considerar como erro.
Enfim, apenas quis esclarecer-lhe,( não que fosse obrigado a isso, mas porque ainda sobra um pouco de respeito pese embora a sua intransigência e ofensa generalizada e na qual me incluiu) a minha opinião referente ao comentário que transcreveu para aqui.
Lamento que tenha sido o "bode expiatório" por ser o caso mais recente e por não retroceder, não acatar que as coisas mudam mas sei que há outros que transgrediram tanto ou mais do que você noutras épocas assim como os que andam pela calada da hipocrisia.

Sucesso é o que lhe desejo!
Abraço com a consideração ainda possível
Manu

Criado em: 3/4/2015 20:35
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: remoção do usuário "gyl" por preconceito e racismo
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Azke, ainda admiro a sua frontalidade mas, perdeu parte do meu respeito quando tratou todos como... enfim!
Como transcreveu o meu comentário resolvi esclarecê-lo relativamente ao que penso
O site, segundo as palavras do Trabis carece de financiamento o que não será certamente ao virar da esquina
O mais provável é que seja avaliado o número de leitores, a interação entre os usuários , etc. para que haja vontade de investimento no Lusopoemas.
Claro que o ideal, para o Luso e para quem gosta de poesia em geral, seria que tivesse só poetas excelentes nos variados estilos.
Porém não creio que, ainda assim,só isso ajudasse o Luso
Assim, na minha opinião, talvez errada, o Luso precisa de leitores, de "lusuários" que escrevam, leiam e comentem.
Por outro lado, se o Luso fechar, de que vale ter excelentes poetas se deixarão de ter este espaço? Há, creio lugar para os bons,como pensa ser, razoáveis,como é, menos bons como muitos e até para escrevinhadores como eu. Todos juntos, com educação e dedicação manteremos, talvez, este espaço que a todos agrada.
A mim, enquanto e apenas mero leitor, choca-me não um texto menos bom ou mau, com características de intenções poéticas, mesmo não o sendo, do que o desrespeito pelas regras da língua (que às vezes também comete)e muito mais pelas regras de boa educação. Os impropérios usados e a linguagem utilizada por alguns, incuindo-o a si, são por vezes dignos do bares de "terceira" das zonas de prostituição barata o que, em nada ajuda a "imagem" Luso e a criar leitores.
A liberdade de expressão, como qualquer outra, tem limites.
Os limites quando não respeitados têm de ser impostos.
Este deveria, penso, ser um site de poesia e, simultaneamente um espaço familiar.
Podem vir novos Shakespear, Fernando Pessoa, Saramagos, Camões, Florbela, etc. Se não conquistarem leitores...o site acabará.
Sejamos práticos e conscientes de que á borla já não há nada que valha a pena sequer a manutenção.
Abraço
manu

Criado em: 3/4/2015 19:10
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Um ciclo de purificação interna
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Caro levyabreu, vejo que é novo no site
pela minha parte, seja bemvindo!

Perseguir, não é o caso!
Ninguém persegue!
Observa-se e comenta-se se necessário.
Não há persegição de qualquer tipo.

Votos de bons poemas!

Criado em: 1/12/2014 17:23
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Um ciclo de purificação interna
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
mesmo não sendo santo, sou como S. Tomé!

Criado em: 29/11/2014 21:16
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Um ciclo de purificação interna
Subscritor
Membro desde:
9/12/2013 13:47
De Lisboa
Mensagens: 3860
Depois disto,que transcrevo, seguiu-se o meu silêncio relativamente a si. Ignorei-o, apenas ignorei-o até que voltou a ofender-me!
De quaisquer formas, para o seu último comentário neste item repito-o.

"
Sem qualquer ironia, nem provocação
dou-lhe os parabéns.
É o primeiro texto seu que leio e, realmente, gosto.
Considero, na minha ignorância, um bom poema e,
independentemente da fricção que tenha consigo,
aqui leio apenas o que está escrito, não quem o fez.
Assim sendo, um merecido "gostei"!




P.F.Não entenda como qualquer pedido de desculpa
(que se o tivesse de fazer e quisesse não seria aqui.)
nem tampouco como uma "lambida" para evitar o que quer que seja.
Apenas me referi ao poema;
Nada mais além disso!

Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ryid=279421#ixzz3KUd9yNX3 "



Criado em: 29/11/2014 21:00
_________________
Não sou poeta mas, quem sabe, um dia escreverei
um texto que (pela persistência e sorte) possa ser lido como poema
Transferir o post para outras aplicações Transferir



 Topo
(1) 2 3 4 ... 7 »




Links patrocinados