https://www.poetris.com/
   Todas as mensagens (cleo)


(1) 2 3 4 ... 32 »


Re: Faz-me lembrar a sacristia
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
É como um bloguezito que ficou a pairar na imensidão do infinito virtual.
E pensar na importância que este site já teve. Inacreditável!
Mas como dizia a minha avó: "tudo se vai atrás de quem o deixa".

Criado em: 22/12/2016 10:49
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Clássicos do Luso
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Eu acrescentaria dois nomes, que, me parecem ter sido importantes e, como tal, merecedores de figurarem nesta lista de clássicos do Luso:

Valdevinoxis


Mel De Carvalho

Criado em: 18/10/2013 17:05
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Outros clássicos
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Tu estás aqui

Estás aqui comigo à sombra do sol
escrevo e oiço certos ruídos domésticos
e a luz chega-me humildemente pela janela
e dói-me um braço e sei que sou o pior aspecto do que sou
Estás aqui comigo e sou sumamente quotidiano
e tudo o que faço ou sinto como que me veste de um pijama
que uso para ser também isto este bicho
de hábitos manias segredos defeitos quase todos desfeitos
quando depois lá fora na vida profissional ou social só sou um nome e sabem
o que sei o
que faço ou então sou eu que julgo que o sabem
e sou amável selecciono cuidadosamente os gestos e escolho as palavras
e sei que afinal posso ser isso talvez porque aqui sentado dentro de casa sou
outra coisa
esta coisa que escreve e tem uma nódoa na camisa e só tem de exterior
a manifestação desta dor neste braço que afecta tudo o que faço
bem entendido o que faço com este braço
Estás aqui comigo e à volta são as paredes
e posso passar de sala para sala a pensar noutra coisa
e dizer aqui é a sala de estar aqui é o quarto aqui é a casa de banho
e no fundo escolher cada uma das divisões segundo o que tenho a fazer
Estás aqui comigo e sei que só sou este corpo castigado
passado nas pernas de sala em sala. Sou só estas salas estas paredes
esta profunda vergonha de o ser e não ser apenas a outra coisa
essa coisa que sou na estrada onde não estou à sombra do sol
Estás aqui e sinto-me absolutamente indefeso
diante dos dias. Que ninguém conheça este meu nome
este meu verdadeiro nome depois talvez encoberto noutro
nome embora no mesmo nome este nome
de terra de dor de paredes este nome doméstico
Afinal fui isto nada mais do que isto
as outras coisas que fiz fi-Ias para não ser isto ou dissimular isto
a que somente não chamo merda porque ao nascer me deram outro nome
que não merda
e em princípio o nome de cada coisa serve para distinguir uma coisa das
outras coisas
Estás aqui comigo e tenho pena acredita de ser só isto
pena até mesmo de dizer que sou só isto como se fosse também outra coisa
uma coisa para além disto que não isto
Estás aqui comigo deixa-te estar aqui comigo
é das tuas mãos que saem alguns destes ruídos domésticos
mas até nos teus gestos domésticos tu és mais que os teus gestos domésticos
tu és em cada gesto todos os teus gestos
e neste momento eu sei eu sinto ao certo o que significam certas palavras como
a palavra paz
Deixa-te estar aqui perdoa que o tempo te fique na face na forma de rugas
perdoa pagares tão alto preço por estar aqui
perdoa eu revelar que há muito pagas tão alto preço por estar aqui
prossegue nos gestos não pares procura permanecer sempre presente
deixa docemente desvanecerem-se um por um os dias
e eu saber que aqui estás de maneira a poder dizer
sou isto é certo mas sei que tu estás aqui



Ruy Belo
Toda a Terra
Todos os Poemas
Assírio & Alvim
2000


Criado em: 19/5/2013 11:15
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A coreia do norte é uma ameaça real a paz mundial?
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Andei à procura de um documentário que tive oportunidade de ver há tempos acerca da realidade que se passa na Coreia do Norte. Não aquela realidade que eles fabricam nos seus vídeos de propaganda onde se dão ao luxo de ter uma cidade modelo onde supostamente o povo vive feliz, mas que na realidade não passa de uma cidade fantasma...
Infelizmente não encontrei esse documentário para poder mostrar aqui. Mas na falta dele, deixo dois vídeos que talvez façam as mesmas vezes. São um bocadinho grandes, mas vale a pena(e já que o assunto foi aqui chamado)ver até ao fim para se ficar com uma ideia mais clarificada do tipo de ameaça com que o mundo poderá estar prestes a se debater.





Criado em: 10/4/2013 17:46
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: IV EVENTO LUSO-POEMAS 2013
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Ainda que tudo isto seja muito subjectivo (tendo em conta os vários factores e condicionantes como por exemplo o nº de votantes e a sua natural preferência poética e qualitativa), parece-me justo que os participantes tenham conhecimento do lugar alcançado e respectiva qualificação através dos votos dos demais participantes. Agora se essa informação é ou não para ficar exposta, isso já depende de cada um... salvaguardando assim as suas futuras participações noutros eventos do género.

Aproveito para felicitar quem está por detrás destas iniciativas que me parecem bem positivas, tanto para o site como até para o crescimento particular em termos de escrita espicaçado pelo desafio, de quem nelas participa.

Criado em: 24/3/2013 18:37
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Poesia em Video
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Ah poeta!
A poesia, tu e o teu modo de a dizer... um trio imbatível!

Gostei imenso

Criado em: 23/3/2013 11:55
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: pérolas da língua portuguesa
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Do Arquivo Nacional da Torre do Tombo

SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO

(Autos arquivados na Torre do Tombo, armário 5,maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas, da própria mãe teve dois filhos. Total: duzentos e noventa e nove, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres".

[agora vem o melhor:]



"El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou por em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".


Open in new window

Criado em: 7/3/2013 11:11
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: pérolas da língua portuguesa
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Open in new window

Criado em: 6/3/2013 17:30
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Nascimento das palavras...
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Seguindo a ideia do primeiro exemplo deste tópico (o qual aplaudo desde já) aqui deixo um pequeno contributo.

Escarradeira ou escarrador, objeto de luxo e de etiqueta.

Tanto uma como a outra, vêm de ESCARRO - Do latim, palavra deriva do verbo “scrare”, cuspir, escarrar, expectorar.


"Recipiente próprio para receber o escarro. O mesmo que escarrador ou cuspideira. Fazia parte do mobiliário das famílias nobres até o século XIX. Um recipiente do tamanho de um prato, relativamente fundo e com um furo no meio, normalmente feito de porcelana. Bem decorada, seu lugar por excelência era a sala de estar, sempre pronta para oferecer conforto a qualquer visita que dela necessitasse para cuspir um pigarro ou simplesmente, a partir do hábito adquirido, pudesse encontrar alívio sem transgredir a boa etiqueta da época."

Sobre este curioso objecto encontrei artigos não menos curiosos , dos quais escolhi dois e aconselho a leitura :

https://www.cgd.pt/Institucional/Patri ... ador-e-Saude-Publica.aspx

http://caminhosalomao.blogspot.pt/201 ... s-50-o-escarrador-ou.html

Criado em: 1/3/2013 18:12
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Duas ou três ideias sobre a crise
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Parece-me que tenho ali uma coisa que é capaz de ficar aqui bem.

Vou buscar e já volto...


Ora aqui está ela! Vejam quem sempre teve o poder nas mãos (protegidos que eram e ainda continuam a ser, pelo estado) e quem é que sempre foi o dono deste que também é o meu país:

http://www.donosdeportugal.net/

E ainda, o novo hino de Portugal:

http://player.vimeo.com/video/42954561?autoplay=1

Criado em: 27/2/2013 18:03
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir



 Topo
(1) 2 3 4 ... 32 »




Links patrocinados