https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Religião : 

Canto do Justo (Gabriela Mistral)

 
Open in new window









Peito do meu Cristo
mais ensanguentado
do que o pôr do sol:
meu sangue secou.

Mãos de Jesus Cristo
que à feição das pálpebras
retalhadas choram:
nada mais imploro.

Braços do meu Cristo
largamente abertos
para toda a terra:
meu abraço existe.

Flanco do meu Cristo
Fonte que se exaure
restaurando a vida:
desde que te vi
rasguei-me a ferida.

Olhares de meu Cristo
por fugir ao corpo
erguidos ao céu:
desde que vos vi
não contemplo mais
minha vida em sangue.

Corpo de meu Cristo
nessa cruz de sempre
vejo-te cravado:
meu canto hei de erguer-te
no dia em que os homens
te hajam libertado.

Quando será? Quando?
Dois mil anos há
que espero a teus pés
e espero chorando.

Gabriela Mistral, poeta chilena.
 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
763
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.