https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

As tranças da chuva mansa

 
Open in new window

Ó chuva mansa
Que bate à minha janela,
Deixe solta
As tuas tranças

Pra que delas jorrem
Tuas preciosas lágrimas
Nas terras das minhas lavras,
Que a seca e fome contundem

Traga fartança
Às minhas mãos cálidas
E ressequidas,
De tanto virar a terra sem bonança

Traga sua mansidão
E sorrisos aos pombinhos do meu lar,
Que estão prestes a deixarem-se levar
Pelas intempéries da fome e solidão

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
216
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
3
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 08/02/2019 15:02  Atualizado: 08/02/2019 15:02
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal-Azeitão, Portugal
Mensagens: 1582
 Re: As tranças da chuva mansa
A bem dizer e bem dizendo o que sei eu li, penso que a maior e melhor homenagem que se dá ou pode dar a quem escreve bem é dizer-lhe dizendo, e o que nos inspira diz-se por exemplo em poesia, como nós sabemos fazer fazendo, bem dizendo