https://www.poetris.com/



« 1 (2) 3 »


Re: .
sem nome
Ola Vanusa.
Muito interessante um perfil sem rosto vir discutir um comentário por mim deixado. Sabe poeta (?) Eu sei ler e sei interpretar e não necessito que me joguem nos olhos as "normas" do dito movimento. Deixei bem claros os motivos porque não acredito nele e não faz qualquer sentido neste Site.
Depois do mentor do projeto abrir um tópico e o mesmo ser retirado por ser inadequado, é sem dúvida um mau começo para quem tem que ser o exemplo do dito movimento. Lembro ainda que, porque precisa ser lembrada; que os membros do movimento eram contra o botão apagar. Percebe onde cabe a frase "já acertaram no próprio pé"?

Sobre o brigarem uns com os outros, queira ler o que um membro do movimento diz de alguns dos seus colegas
http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... t_id=24792#forumpost24792
Dou por encerrada a minha presença neste Forúm

Cumprimentos poéticos


Criado em: 6/6/2012 22:38
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
27/10/2006 18:09
De Aguiar, Viana do Alentejo
Mensagens: 2058
Vejo que a amiga não erra.

Errar é tão natural como viver e admiti-lo é um bom prenúncio para qualquer iniciativa.

Já agora, eu não sou mentor de nada, simplesmente participo e defendo o que entendo que é correto.

Não percebo o motivo de tanta celeuma porque alguém assumiu que esteve mal.

Uma nuance em que talvez não tenha reparado: Eu não apaguei nada que não tivesse sido escrito por mim.

Valdevinoxis

Criado em: 6/6/2012 23:10
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
31/3/2008 16:45
De Braga
Mensagens: 8366
Valdevinoxis
Não sei o que escreveste e depois apagaste. Mas apagar o que é nosso ainda é legítimo, sobretudo se resultou de um erro, apagar o que outros escrevem, não é.
Reconhecer um erro e tentar corrigi-lo é nobre.
Calcar e rir de quem erra e reconhece o seu erro é no mínimo mesquinho. E mais que isso, é uma anedota, sobretudo se vindo de quem já errou demais.
Epítetos como arruaceiros ou dar tiro no pé nem é assim tão pejorativo. Há arruaceiros que dão tiros no pé mas que são honestos e bem formados, apenas se expressam de forma mais espalhafatosa; enquanto tantos que batem no peito, tem sorrisos largos e branquinhos só vomitam fel com um único objectivo: ser destrutivo por pura maldade.
A esses basta não ligar.

Criado em: 7/6/2012 7:27
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Da casa!
Membro desde:
25/8/2011 17:18
De santamariadafeira.pt
Mensagens: 490
ok
voltei só pa ver

reparei na linguagem
no vocabulário
na vontade de melhorar
pacificar
aceitar opiniões sem azedume
...
vi um ponto final

pro pro

e não sou profeta
da desgraça

valha me santa engracia

ps-eu erro e ó mais sou um deus menor

Criado em: 7/6/2012 8:34
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
8/12/2008 14:15
De Vila Viçosa
Mensagens: 3906
Ora aqui está uma coisa com a qual não concordo, o apagão, se o texto era inadequado deveria ficar como exemplo do que não se deve fazer, com a devida retractação por parte do autor do mesmo, de que vale tanto chinfrim quanto ao botão se no fim fazemos igual privamos os demais usuários de se manifestar, quando se publica algo devemos pensar antes se corremos em erro ou então se se sentimos que erramos deixemos aos outros essa análise, só assim entendo comunidade. Não gostei mesmo nada ainda por cima quando foi criado um movimento que quer ser o incentivo da transparência e sã convivência, agora a quem vem depois resta-lhe adivinhar e tirar dilações que é o que já está a acontecer. Informo que estou aqui a opinar como utilizador e não como membro do Pró-Luso. Não gostei deste apagão.

Criado em: 7/6/2012 16:28
_________________
Era tão fácil a poesia evoluir, era deixa-la solta pelas valetas onde os cantoneiros a pudessem podar, sachar, dilacerar, sem que o poeta ficasse susceptibilizado.

Duas caras da mesma moeda:

Poetamaldito e seu apêndice ´´Zulmira´´
Julia_Soares u...
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
8/12/2008 14:15
De Vila Viçosa
Mensagens: 3906
E que li o texto que aqui estava e que quanto a mim enquadrava-se na situação presente, Não lhe chamaria erro quando muito talvez precisasse de ser aligeirado.

Criado em: 7/6/2012 16:30
_________________
Era tão fácil a poesia evoluir, era deixa-la solta pelas valetas onde os cantoneiros a pudessem podar, sachar, dilacerar, sem que o poeta ficasse susceptibilizado.

Duas caras da mesma moeda:

Poetamaldito e seu apêndice ´´Zulmira´´
Julia_Soares u...
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
22/3/2009 16:49
Mensagens: 3351
É isto que não entendo no Luso. O Colega X posta um determinado texto que passado algum tempo entende não estar correcto e retira-o. Em vez de tentarmos entender os seus motivos (já explicados pelo autor) para o “apagão” do texto, não senhor, está meio mundo a tentar encontrar a agulha no palheiro para tentar dar uma alfinetada no que não é nenhum problema para o funcionamento “normal” do Luso. Convém ainda lembrar que o dito texto não apontado a nenhum usurário especial. Desculpem-me, mas não entendo patavina deste mundo, não era mias fácil escrever e deixar o rio seguir o seu curso normal. Depois lá vem mais um comentário que o A não concorda e de seguida o B também não está para brincadeiras, e entra o C e D, e por uma coisa de nada lá temos nós mais uma batalha daquelas que já não dá mais para ter paciência. A questão aqui nem é saber se errou ou não, a questão é aceitar o erro / opção (?) e perceber que num local onde há mais do que uma pessoa há com certeza mais do que uma forma de ver as questões. A primeira regra para que estes locais funcionem não são os estatutos (leis) do Luso Poemas mas sim a tolerância. Vamos lá todos voltar a escrever.

Criado em: 7/6/2012 17:05
_________________
Irei republicar muitos deste textos [com melhorias, acredito] aqui no luso com outro nick, o que me acompanhará para sempre - sampaio rego
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Da casa!
Membro desde:
26/8/2011 11:49
De Brasil-BR (Itinerante)
Mensagens: 416
(pôr uma pedra em cima. uma prática das mais práticas e das mais indecentes também...)

"transparência e sã convivência". difíceis de serem restauradas entre cacoetes e recaídas, mas de viabilização possível independentemente desse 'remexido pró'; mas tão somente, quando há, de uma postura reputada dos indivíduos.


Criado em: 7/6/2012 17:42
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Colaborador
Membro desde:
15/2/2007 11:46
De Porto
Mensagens: 2699
apagar no meu entender (desde que não seja de forma gratuita)sempre me pareceu um acto legitimo e soberano. o que não me parece"digno" é que se defenda algo e depois sobre a esfera da adaptação da conveniencia própria se venha a apagar e,... neste caso especifico ainda acho mais pretinente, uma vez que ao apagar o cerne da questão, tudo o resto deixa de fazer sentido... srei eu uma idiota que ao analisar opiniões nem quero saber a que se refere?... estarei eu a dizer algo sem sentido? se assim é peço desde já as minhas desculpas.

Criado em: 8/6/2012 20:38
_________________
" An ye harm none, do what ye will "
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: .
Da casa!
Membro desde:
16/12/2011 13:12
De WWW
Mensagens: 203
Estou há muito pouco tempo no Luso,com poderão constatar, prosseguindo objectivos culturais, e também comerciais, como tantos mais, até que tal me seja permitido.
Não me inteirei ainda da polémica em torno do movimento pro.LUSO. Que prentendem, afinal, os seus mentores e aderentes?
Uma nova administração?
Um novo regulamento?
Assumir-se como escola (corrente) literária?
A prevalência de uma ideologia/filosofia?
A paridade de utentes portugueses e brasileiros?
Espaço para mais uma editora para lá das que aqui já estão presentes promovendo os seus produtos?
Padronizar, ou normalizar, a qualidade dos textos?
Ou apenas motivar o debate e ra reflexão aqui no Forum?

Dos contactos que venho mantendo com um antigo utente do Luso, ao qual me ligam deveres comerciais, fico sabendo que o Luso, já foi mais livre, criativo e igualitário, malgrado os incovenientes que tal acarretava.
Por mim, até ver, aplaudo a excelente plataforma comunicacional e promocional que é o Luso.

Abraços

Ruth Tuella
(prosa Y poesia)

Criado em: 9/6/2012 8:20
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados