https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O frágil vidro do relógio

 
Quebrasse o frágil vidro do relógio, parece o velho corpo do marinheiro comido pela boca feroz das águas e das horas. O frágil vidro do relógio como o fruto que apodrece na boca das palavras que não se ouvem.
Quebrasse o frágil vidro do relógio, parece o velho corpo de um homem que emagrece como as horas que saem das narinas para o impulso da navegação.

Lobo 010



 
Autor
lobodaescrita
 
Texto
Data
Leituras
647
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
1
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/12/2010 14:26  Atualizado: 13/12/2010 14:26
 Re: O frágil vidro do relógio
Quebrasse o frágil vidro do relógio e a vida iria esvair-se em um tempo que não volta atrás, em resto de vida que se segue e não se vê. O tempo não perdoa! Gostei muito do teu poema, trouxe-me uma reflexão sobre o quanto a vida passa tão rápido. Parabéns pela tua arte!

abraços!