Poemas : 

SALPICOS

 
Às vezes sou onda com salpicos de vida
Seixo que rebola e se esmerila nos tombos…
Areia onde espraio a minha dor despida
Sol desbotando a cor dos meus rombos

Sou o sal grosso donde retiro
O tempero mediador que me amansa
No mesmo chão agreste onde me firo
Rasgo de alegria em passos de dança

E num bailado de alva espuma
Deixo cair pedaços de erosão
Que se reduzem a coisa nenhuma

Miscelânea que quando me agita
Renova o bater do meu coração
Num novo pulsar que a viver me incita

 
Autor
DulceGomes
 
Texto
Data
Leituras
1078
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.