Poemas : 

Água em pó

 
Acedo à chama incerta
Talhada num momento
Como uma porta aberta
Sem meu consentimento

Que luz fere ao tocar
Que evito vida fora
Desejo em mim, sem lar
Sem querer saber de agora

(Até nada querer
Até nada dizer)

Cercando ao longe o sonho
Marcado ao longe afago
Num circuito enfadonho
Vazio que levo e trago

Quão doce e grave riso
Que é feito deste outono
Para sempre cristalizo
E apraz-me o etéreo sono

 
Autor
NAHCardoso
 
Texto
Data
Leituras
811
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 30/10/2012 23:09  Atualizado: 30/10/2012 23:09
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 10200
 Re: Água em pó
Boa noite caro poeta, para uma alma transcendental, os ritos da materialidade não surtem efeitos práticos para as suas relevâncias, Parabéns pelo seu eloqüente poema,
Um grande abraço, MJ.

Enviado por Tópico
thiagodebarros
Publicado: 30/10/2012 23:16  Atualizado: 30/10/2012 23:16
Membro de honra
Usuário desde: 11/01/2012
Localidade: Brasília
Mensagens: 709
 Re: Água em pó
.

O título é muito bom! Se pode leite, porque não água?
Talvez o calor daqui fez-me gostar ainda mais do seu título que poderia ser uma música dos Secos e Molhados.

Saudações,

.